Política

13/09/2019 07:28

JULGAMENTO

Vereadores podem decidir se Márcio Dreveck deixa de receber salário

Arquivo / Jornal A Gazeta

Vice-prefeito foi afastado do cargo após receber liberdade provisória

Alexandre Carvalho - alexandre@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

O terceiro dia de julgamento do vice-prefeito Márcio Dreveck (PP) e do ex-secretário de Obras, Paulo Ziewfka, ocorrido na manhã de quinta-feira (12), no Fórum de Justiça de São Bento do Sul, não resultou em nenhuma novidade. Conforme apurado por A Gazeta, foram ouvidas três testemunhas. O julgamento, que teve início nesta terça-feira (10), teve sua primeira fase concluída na manhã de sexta-feira (13).

Na quinta, a assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça de Santa Catarina entrou em contato com A Gazeta para esclarecer alguns pontos na matéria sobre a libertação de Dreveck. No texto original, constam trechos de um acórdão do desembargador Helio do Valle Pereira, os quais acabaram sendo atribuídos incorretamente à juíza Giovana Maria Caron Bosio Machado.

Por enquanto, Dreveck continua recebendo seu salário. Conforme o comunicado, cabe aos vereadores de São Bento do Sul decidirem se o vice-prefeito afastado deixa ou não de receber, mas são necessários diversos trâmites para isso. A nota faz questão de esclarecer que a juíza do caso não determinou em nenhum momento que o vice-prefeito continuasse recebendo seus proventos.

"No texto houve um equívoco por não se separar o que era a decisão da magistrada e o que era o acórdão citado, fazendo crer que a magistrada tomou a decisão de determinar que o vice-prefeito continuasse recebendo seus proventos, o que não procede. Diante do exposto, a Dra. Giovana faz questão de frisar que a decisão refere-se exclusivamente ao afastamento do vice-prefeito e não sobre a continuidade do pagamento ou não do salário a este", cita a nota enviada pelo TJ.

Veja mais detalhes sobre o julgamento no jornal impresso desta sexta-feira (13).

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.