Geral

18/09/2020 20:21

SETEMBRO AMARELO

Suicídio no cinema: Veja três filmes que retratam assunto de forma responsável

Matheus Müller - matheus@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

Neste mês de conscientização e prevenção ao suicídio, vamos falar um pouco sobre algumas produções que abordam o tema, sob os seus mais variados ângulos. O que não faltam são filmes de qualidade que nos fazem refletir sobre o assunto.

1. Se enlouquecer, não se apaixone

Um dos meus preferidos dentro deste tema é o “Se enlouquecer, não se apaixone”, título meio maldoso, levando em conta que o nome original, em tradução literal, seria “É uma história meio engraçada”. O filme é focado no jovem Craig Gilner (Keir Gilchrist), que decide se internar em um hospital psiquiátrico ao ter tendências suicidas. No local ele conhece uma série de pessoas e vive diversas situações que trazem um novo significado para sua vida.

Ao contrário do que a sinopse pode transparecer, o filme aborda o tema de uma forma leve e que nos faz ter uma empatia por todos os personagens. Muito da qualidade do longa se dá pelo seu ótimo elenco de apoio, com nomes como Zach Galifianakis (Se Beber Não Case), Emma Roberts (Família do Bagulho) e Viola Davis (Histórias Cruzadas).

Vale mencionar a cena onde o protagonista canta a música “Under Pressure” do Queen, em uma vibe muito legal, cuja letra tem muito a ver com se sentir pressionado no mundo em que vivemos. Disponível na Netflix, “Se enlouquecer, não se apaixone” (2010) tem 1h40 de duração.

2. Pequena Miss Sunshine

Outro longa que aborda o tema é o “Pequena Miss Sunshine”, este mais conhecido da maioria. Lançado em 2006, o filme mostra a viagem de uma família do Novo México para a Califórnia, a bordo de uma Kombi amarela, para que a pequena Olive (Abigail Bresling) possa participar de um concurso de beleza infantil.

Repleta de problemas e vivendo situações negativas, a família passa por diversas provações e reflexões ao longo da viagem, que ajudam a entender o que realmente importa na vida. Entre os personagens está o tio de Olive, Franke (Steve Carell), que tentou se matar e agora vive com a família, precisando de supervisão constante, o que traz o tema suicídio para dentro da película de uma forma real e honesta.

Dirigido pela dupla Jonathan Dayton e Valerie Faris, o filme tem 1h40 de duração e está disponível no streaming Telecine Play.

3. A Vida Secreta de Walter Mitty

Para aquele dia que bate um ruim, nada melhor do que assistir a um daqueles filmes que te fazem acreditar nas coisas boas da vida. Dentro desta linha, a melhor dica possível é “A Vida Secreta de Walter Mitty”, longa dirigido e estrelado por Ben Stiller, das trilogias “Uma noite no Museu” e “Entrando numa fria”.

No longa, Walter Mitty (Ben Stiller) é o responsável pelo departamento de arquivo e revelação de fotografias da tradicional revista Life. Quando a revista vai fechar, ele precisa deixar sua timidez e medo de lado para embarcar em uma aventura em busca do fotógrafo da revista, pois perdeu a foto que seria a da última capa.

Lembro que assisti ele no cinema, sem pretensão alguma, e saí da sala maravilhado com a fotografia do filme, a trilha sonora (David Bowie!) e principalmente com a mensagem transmitida por ele, de que todo mundo pode ser especial à sua maneira. Um daqueles “feel good movies” dos mais especiais, que deixa um quentinho no coração ao subir os créditos e a sensação de que viver realmente vale a pena.

Lançado em 2013, o filme tem 1h50 de duração e também está disponível no Telecine Play.


*O texto acima foi publicado originalmente na coluna Filmes e Séries, no jornal impresso desta quinta-feira (16), como parte da campanha "O que me faz feliz?". Matheus Müller é jornalista em A Gazeta e fã de (quase) tudo que integra o universo da cultura pop.

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.