Geral

Siga-nos nas redes sociais

13/01/2020 11:00

COMBATE À DENGUE

São Bento registrou 34 focos do mosquito Aedes aegypti e 55 denúncias em 2019

Divulgação

Vistorias são realizadas periodicamente pelos profissionais

Layra Olsen - layra@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

A equipe do Programa de Combate à Dengue de São Bento do Sul encontrou, em 2019, 34 focos do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. O número excede os registros contabilizadas no ano anterior, quando haviam sido detectados 20 focos.

A maioria das ocorrências foi identificada em armadilhas. “Teve alguns em Pontos Estratégicos, um em terreno baldio e outro numa empresa abandonada”, lembra a agente Cleide Adriana Dias. Os únicos bairros que ainda não apresentaram focos são o Industrial e o Rio Vermelho. Nos demais, sobretudo Serra Alta, Cruzeiro e Colonial, geralmente a incidência é alta. Além disso, quatro são-bentenses chegaram a contrair dengue, mas fora do município. Todos estão bem e completamente recuperados.

O aumento no número de focos positivos para o mosquito pôde ser visto em todo Estado. Relatórios indicam um crescimento espantoso em Santa Catarina: 27.993 focos do mosquito em 186 municípios, enquanto em 2018 eram 15.009 focos em 160 cidades.

Para Cleide, falta conscientização e, claro, mais denúncias por parte da população de possíveis criadouros. No último ano, por exemplo, a Prefeitura recebeu 55 delações. “Costumo dizer que os 34 focos foram encontrados por nós, agentes. Se as pessoas adquirissem o costume de denunciar, o número de focos aumentaria e teríamos um maior controle”, analisa.

Como denunciar

Denúncias de possíveis criadouros de mosquito Aedes aegypti podem ser feitas diretamente no CVS pelo telefone 3635-2228 ou na ouvidoria através do número 156 ou do e-mail ouvidoria@saobentodosul.sc.gov.br. O registro é sigiloso.

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.