Segurança

14/10/2021 08:46

MUITA ATENÇÃO

São-bentense perde R$ 1 mil em golpe de empréstimo online

DIVULGAÇÃO

Ele relata como foi para evitar novas vítimas

Elvis Lozeiko - elvis@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

O pintor de móveis Marcelo dos Santos, morador do bairro Cruzeiro, vivenciou uma situação que qualquer pessoa não quer: perder dinheiro. “Que ninguém mais passe por isso”, diz ele, afirmando ter caído em um golpe online, perdendo R$ 1.098. Marcelo foi à internet pesquisar por empréstimos para pessoas com nomes negativados. “Encontrei uma empresa que tinha vários comentários positivos”, conta.

Após clicar no link de acesso para contatar a dita empresa, Marcelo foi direcionado para conversar com um terceiro, via WhatsApp. “A pessoa me disse que era a responsável pelo empréstimo e que iria me passar os detalhes dos procedimentos”, comenta. Antes de encaminhar a documentação solicitada, segundo o próprio, ele já havia questionado informações sobre valores e formas de pagamento. “Então chegamos a um acordo, que seria um empréstimo de R$ 12 mil”, diz.

Assinatura digital
De acordo com Marcelo, a pessoa que lhe atendeu demonstrou bastante conhecimento sobre a legislação e sobre a concessão de valores para quem tem o nome negativado, inclusive com o encaminhamento do que seria uma cópia do contrato a ser firmado e de uma tabela de valores conforme os prazos de pagamento. “Ao fim, ela falou que eu deveria fazer uma espécie de assinatura digital”, explica. No afã de fechar negócio, ele diz que seguiu as instruções, fazendo o depósito de R$ 322,44 para ter a tal “assinatura digital”, o que liberaria os recursos financeiros.

Mas, incomodado com a demora, Marcelo fez novos contatos com a atendente, a qual, segundo mensagens trocadas, afirmou que o valor ainda não havia sido liberado porque “surgiu uma paralisação sobre a liberação”, no caso, uma suposta falta de regularização de documentos. Para fazer a dita “regularização”, a atendente solicitou mais R$ 775, valor que, segundo ela, “seria devolvido” a ele posteriormente, diluído das parcelas do suposto empréstimo.

Bloquear CPF
Ao dialogar com Marcelo via mensagens de WhatsApp, a atendente comentou que a suposta empresa – que seria a MB Soluções S.A. – tinha convênios “com o SPC, com a Receita Federal e com o governo”, e que, por isso, poderia bloquear seu CPF se necessário. Em determinado momento, a atendente cita que, se Marcelo não efetuasse a dita “regularização dos documentos”, o caso seria encaminhado ao setor jurídico para as “providências necessárias”. Ele, então, efetuou o pagamento desse valor também.

Resumindo, ele pagou os R$ 1.097,44 e não recebeu o hipotético empréstimo. Detalhe: ao longo das “negociações”, a atendente lhe encaminhou cópias de supostas avaliações de “clientes satisfeitos” e mesmo vídeos mostrando o que o seria o escritório da empresa e ainda depoimentos de pessoas que teriam contraído empréstimos. Lamentando todo o ocorrido e situação pela qual está passando agora, e pedindo atenção das pessoas para que também não caiam em golpes, Marcelo afirmou que iria procurar a Polícia Civil para registrar um Boletim de Ocorrência.


Confira mais notícias no jornal impresso. Assine A Gazeta agora mesmo pelo WhatsApp (47) 99727-0414. Custa menos que um cafezinho por dia! ☕

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.