Geral

15/07/2020 15:13

PROCON

Saiba quais são os lotes irregulares de álcool em gel fiscalizado pelo Procon

DIVULGAÇÃO

Pelo menos uma das marcas chegou a ser vendida em São Bento

Elvis Lozeiko - elvis@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

O Procon de Santa Catarina divulgou novos detalhes sobre a operação "Álcool Falso", deflagrada justamente para fiscalizar empresas produtoras de álcool gel. Quatro fábricas catarinenses e quatro de outros Estados foram interditadas. O diretor estadual do órgão de proteção ao consumidor, Tiago Silva, explica que, após testes feitos pela Universidade Regional de Blumenau (Furb), foi constatado que o álcool estava com percentual abaixo dos 70% exigidos.

"Os fabricantes, com o único propósito de aumentar sua margem de lucro, se aproveitaram da crença dos consumidores, que acreditaram estar comprando um produto eficaz, mas que, na realidade, os deixavam ainda mais suscetíveis a contrair e propagar a doença, o que torna o fato gravíssimo, por comprometer a saúde e a ordem pública", comentou.

Há relatos de que pelo menos uma das marcas foi adquirida em estabelecimentos são-bentenses, caso da Bonzão, fabricada em Araquari. A diretora do Procon de São Bento do Sul, Harriet Hackbarth, explica que, nesse caso, o consumidor deve entrar em contato diretamente com o fabricante. "Se não conseguir a troca do produto ou ressarcimento, aí deve-se entrar com reclamação no Procon", explica, ressaltando que é necessário apresentar documentos pessoais, comprovante de residência, cupom fiscal e fotos do produto, inclusive com o lote de fabricação.

Contato
O Procon de São Bento do Sul fica na Rua João Kiem, 36, no Centro – ao lado da Milium. O atendimento ao público é de segunda a sexta, das 10 às 16 horas, sem fechar para o almoço. Mais informações, telefone 3633-5055 ou e-mail e-mail proconsbs@saobentodosul.sc.gov.br.

Lotes irregulares

Clique para ampliar a imagem

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.