Geral

25/06/2019 10:49

TURISMO

Regras de visitação aos Campos do Quiriri estão sendo definidas

Elvis Lozeiko/ A Gazeta/ Arquivo

Algumas trilhas nos campos de altitude já foram pré-definidas

Elvis Lozeiko - elvis@gazetasbs.com.br
Campo Alegre

Passo a passo, a regulamentação dos Campos Naturais do Quiriri está em construção desde o fim do ano passado, logo depois que um dos proprietários resolveu fechar o principal acesso ao atrativo. Na ocasião, gestores turísticos sugeriram a realização de uma reunião para início das discussões.

Na primeira reunião, ainda em dezembro de 2018, foram definidas as estratégias iniciais. "É um processo complexo, já que os campos envolvem Campo Alegre, Garuva, Joinville e Tijucas do Sul", comenta, lembrando que um trecho ainda pode pertencer a Guaratuba, o que ainda não foi confirmado. Ou seja, além do fator intermunicipal, existe a questão fronteiriça interestadual. "Assim, para chegarmos à oficialização do regramento, somente com uma atuação a muitas mãos, em um processo coletivo", ressalta.

A precificação é uma das pré-definições do grupo de trabalho. Ou seja, quanto será cobrado para a acesso aos campos. A princípio, os valores serão estabelecidos por quilômetro caminhado por pessoa ou conforme o tipo de veículo, que só poderá circular em determinados locais. Ainda será definida a instituição responsável pela movimentação financeira decorrente da cobrança das taxas e pela logística do sistema, que envolverá emissão de boleto e do tíquete de autorização, destinação de um percentual aos proprietários, prestação de contas, etc.

Categorias
Conforme pré-definido, serão três categorias de visitantes, conforme os locais que serão visitados. De acordo com o número de integrantes do grupo, será definida uma quantidade mínima de guias, monitores e condutores.

Código de conduta
(Pré-definição)

- Se manter na trilha principal, conforme a categoria de visitação;
- Proibidas a caça, a pesca, a coleta e a apanha de espécimes da fauna e da flora, ressalvado o manejo de espécies exóticas com finalidades científicas comprovadas;
- Proibição de introdução de qualquer espécie de animal ou vegetal;
- Proibição de entrada e permanência de animais domésticos ou cães, exceto os cães-guia;
- Manifestações religiosas não podem usar fogos, resíduos e aparelhos sonoros;
- Proibição do consumo de bebidas alcoólicas ou outras substâncias entorpecentes;
- Não será permitido entrar com armas, facões, tinta spray e aparelhos sonoros (fiscais e vigilantes poderão solicitar a abertura de bolsas e mochilas);
- Grupos terão que preencher o termo de conhecimento, assinado por um responsável, com Cédula de Identidade, CPF e telefone fixo para contato de emergência;
- Menores de idade desacompanhados terão que apresentar autorização por escrito e cópia da Cédula de Identidade do responsável;
- Só será permitido o acesso com o mínimo de equipamentos, como lanterna, agasalhos e cantil (ou outro recipiente para água);
- Não será permitido o porte de garrafas de vidro;
- O lixo (inclusive orgânico) terá que ser todo trazido de volta;
- Não será permitido fazer fogo e fogueiras, e nem mesmo levar churrasqueira;
- Somente serão permitidos produtos de higiene pessoal biodegradáveis;
- Os dejetos humanos serão ser todos enterrados com distância mínima de um metro entre os pontos, se utilizando de uma pá.

Saiba mais no jornal impresso do fim de semana (22 e 23).

Comentários

Não há comentários sobre esta matéria. Deixe seu comentário

+ sobre Geral

Leia mais...

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

A Gazeta - Rua Mal. Floriano, 22 - Centro - São Bento do Sul/SC - Telefone (47) 3203-0022