Geral

30/06/2020 13:41

MERCADO DE TRABALHO

Região perdeu mais de 2 mil empregos nos três meses de pandemia

ELVIS LOZEIKO / JORNAL A GAZETA / ARQUIVO

Número de desempregados aumentou na região

Leonardo Celeski - editoria@gazetasbs.com.br

Região

Mais de 2,3 mil pessoas da região ficaram sem emprego nos últimos três meses. Os números foram divulgados ontem pelo Ministério da Economia, e referem-se apenas aos trabalhos com carteira assinada. A situação econômica negativa refere-se a São Bento do Sul, Rio Negrinho, Campo Alegre e Piên.

A maior cidade da região, São Bento do Sul, fechou 1.263 postos de trabalho de março, quando iniciou a pandemia, até maio. Neste mesmo período, o saldo foi -329 em Rio Negrinho, -401 em Campo Alegre e -351 em Piên. Ao todo, neste período, foram diminuídas 2.344 vagas de emprego na região.

O pior mês foi abril, quando os números negativos dominaram as estatística. Somente no quarto mês do ano, foram 979 empregos formais a menos em São Bento, -403 em Rio Negrinho, -329 em Campo Alegre e -363 em Piên.

No Estado
Santa Catarina registrou um saldo negativo de 22.705 empregos com carteira assinada em maio. O resultado corresponde à diferença de 46.223 admissões contra 68.928 demissões.

Gráfico mostra impacto da pandemia em SC

O Estado ficou com a sexta pior colocação no país em resultados absolutos, atrás de São Paulo (saldo negativo de 103,9 mil), Rio de Janeiro (-35,9 mil), Minas Gerais (-33,6 mil), Rio Grande do Sul (-32,1 mil) e Paraná (-23,8 mil). No mês, o Brasil registrou a perda de 331,9 mil postos de trabalho.

Entre os setores, a principal queda ocorreu na indústria, com saldo negativo de 9,7 mil postos de trabalho. Em seguida, estão os serviços (-6,9 mil), comércio (-4,5 mil), construção (-1,2 mil) e agricultura (-290).

Com o resultado, o acumulado do ano (com ajuste) em Santa Catarina ficou negativo em -54,9 mil empregos. No país, foram fechadas 1,1 milhão de vagas.

Balanço* na região

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.