Segurança

31/10/2019 11:04

DEL + COMTUR

Professor alemão fala sobre ideias para melhorar turismo em Rio Negrinho

Christian Hacke / Jornal A Gazeta

Hans passou sugestões com auxílio de uma tradutora

Da redação - editoria@gazetasbs.com.br

Rio Negrinho

Rio Negrinho recebeu nesta segunda-feira a visita do alemão Hans Peter-Sattler, professor da Universidade de Berlin e especialista em destinos turísticos. Ele passou o dia todo conhecendo a cidade e seus principais atrativos. Na manhã de terça-feira (29), durante reunião do Conselho de Turismo (Comtur) e da Câmara de Turismo do DEL, Hans fez suas considerações e sugestões à cidade.

Com auxílio da tradutora Claudia de Oliveira, em inglês, Hans afirmou que em um único encontro é muito difícil sentir toda a cidade, mas o primeiro impacto é o mais importante. "Quando me encontro com prefeito e outras pessoas da cidade, a pergunta que faço é: `para quem está sendo feito o turismo?´. A maioria responde que é para os turistas, mas isso não é verdade, não é essa visão que se deve ter. Se faz o turismo para o bem-estar e saúde das pessoas que vivem e que trabalham na cidade. Vai ser difícil fazer turismo se as pessoas locais não se sentirem felizes com isso. É preciso criar bons locais para o turista, mas para os moradores também, isso precisa estar equilibrado", falou.

Algumas sugestões

A primeira sugestão de Hans está justamente na ligação da história da cidade com os antepassados. "Eu gostaria de falar sobre a história das antigas famílias, vindas de países como Alemanha, Polônia, Hungria, Itália e outros países. A ideia é que Rio Negrinho se torne uma cidade `irmã´. É uma boa forma de trocar conhecimento, tecnologia, aspectos culturais, educação", disse.

A segunda sugestão, conforme o professor, é usar o rio Negrinho em favor do turismo. "Tem muitos bons esportes que podem ser explorados, como a `boia cross´. Não é raffting, não é canoagem, tendo em vista o perfil do rio que não propicia esportes de profundidade. Não precisa investimento, o rio está ali e é muito divertido. São 8 quilômetros de rio desde a nascente e as pessoas podem embarcar em um local e ir até outro", falou.

A terceira sugestão de Hans está justamente no principal aparelho turístico da cidade, o trem. "Seria uma apresentação temática contando a história com roupas da época. É como uma forma de diminuir a loucura do dia a dia. Acho que é uma maneira interessante de se conectar como as coisas eram e como são hoje. Muitos brasileiros gostam de ir pra Disney, sabe por quê? Porque a Disney é perfeita em contar histórias. Esses trens antigos são perfeitos para se contar histórias também", ressaltou.

Confira mais detalhes sobre a visita do professor no jornal impresso desta quinta-feira (31).

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.