Siga-nos nas redes sociais

Geral

20/02/2020 09:34

PLANMOB

Perguntas e respostas: tudo sobre as mudanças no trânsito em 2020

LAYRA OLSEN / JORNAL A GAZETA

Schuves (d) foi entrevistado pelos jornalistas André Lima e Anna Carolina Azêdo

Layra Olsen - layra@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

Os jornalistas André Lima e Anna Carolina Azêdo entrevistaram o secretário de Planejamento e Urbanismo, Luiz Claudio Schuves. O encontro foi transmitido ao vivo pelo Facebook de A Gazeta, na noite de terça-feira (18). Ele falou sobre as mudanças no trânsito em 2020, todas previstas dentro do Plano de Mobilidade Urbana (PlanMob).

A Rua Barão do Rio Branco, por exemplo, terá o sentido de circulação do tipo "mão-inglesa". Dessa forma, quem descer pela Capitão Ernesto Nunes para o Centro terá a opção de acessar a Barão pelo lado esquerdo, seguindo até a Benjamin Constant.

Outra alteração refere-se à criação de um binário na área central. Sendo assim, a Rua Benjamin Constant (do Sesi), a Rua Jorge Zipperer (da delegacia) e a Rua Tomás Vidal Teixeira (que sai no Lojão Topa Tudo sentido delegacia) passarão a ter mão única, seguindo do Centro sentido ao bairro Progresso, enquanto a Rua Capitão Ernesto Nunes (Kako’s) também terá mão única, mas dos bairros em direção ao Centro, entre outras mudanças.

Confira as principais dúvidas:

  1. A Rua Barão do Rio Branco deixou de ter vagas de estacionamento em 2017 para ter sentido único. Agora, de acordo com o projeto, terá novamente duas pistas, uma para ir em direção à Jorge Lacerda e outra para a Benjamin Constant. Isso pode causar mais transtornos aos motoristas?
  2. Concentrar todo esse fluxo de veículos em apenas uma rua pode ser mais benéfico aos motoristas?
  3. O estacionamento que existe entre a loja Tecidos Scherer e a Praça Getúlio Vargas no período da noite continuará existindo?
  4. As vagas de estacionamento do lado esquerdo da Rua Jorge Zipperer serão eliminadas para construção de uma ciclovia. Essa modificação pode prejudicar os moradores e comerciantes da via?
  5. Qual a rota a ser utilizada para quem está próximo à Praça Getúlio Vargas e deseja seguir para a Sociedade Ginástica e Desportiva São Bento usando um automóvel?
  6. E o acesso à Igreja Matriz Puríssimo Coração de Maria, como será feito?
  7. A ligação de todas as ciclovias ocorrerá pela Jorge Zipperer (Delegacia). A Capitão Ernesto Nunes (Kakos) não terá ciclovia?
  8. Tem chance do sistema rotativo ser implantado nessas ruas?
  9. A rota dos transportes coletivos acabará sendo alterada com as mudanças. Como os pontos de ônibus serão realocados?
  10. Para quem circula dos bairros em direção ao Centro, qual será o último ponto que terá na
  11. Rua Capitão Ernesto Nunes? Já tem um estudo sobre isso?
  12. Falando em Padaria São Bento, existe algum estudo sobre a Transpão?
  13. Tem previsão de implantar o binário envolvendo a Rua Antônio Kaesemodel e Avenida São Bento?
  14. No ano passado foi anunciado um binário entre as ruas Luiz Bollmann, 25 de Julho e das Neves, no bairro 25 de Julho. Tem previsão de quando isso será feito?
  15. Como funcionará esse binário?
  16. Em relação ao binário que seria implantado no bairro Serra Alta. Como está o projeto?
  17. Tem previsão de realizar mais uma audiência pública sobre as alterações no anel central?

A Gazeta: A Rua Barão do Rio Branco deixou de ter vagas de estacionamento em 2017 para ter sentido único. Agora, de acordo com o projeto, terá novamente duas pistas, uma para ir em direção à Jorge Lacerda e outra para a Benjamin Constant. Isso pode causar mais transtornos aos motoristas?
Luiz Claudio Schuves: Todas essas mudanças integram o PlanMob, iniciado em 2017, embora os estudos tenham começado já no final dos anos 1990. Para se ter uma ideia, em dezembro de 2009 tínhamos 37 mil veículos na cidade, hoje são mais de 61 mil, o que prova um crescimento de mais de 75%. Algo precisa ser feito, por isso veio o PlanMob.

Num primeiro momento, a ação de retirar os estacionamentos da Barão do Rio Branco foi emergencial. O plano de fazer o binário pela rua da delegacia só pode ser implantado depois das obras de esgoto e da pavimentação, fato que deve ocorrer a partir de março ou abril. Com a implantação do binário, a Rua Barão do Rio Branco será esvaziada. Todo o fluxo que vai sentido Centenário e bairro Progresso irá fluir pela Benjamin Constant, Thomas Vidal Teixeira e Jorge Zipperer.

Concentrar todo esse fluxo de veículos em apenas uma rua pode ser mais benéfico aos motoristas?
Não vamos concentrar o fluxo, pelo contrário, vamos retirar o trânsito da Barão do Rio Branco e diluir, boa parte, para as outras ruas já citadas (Benjamin Constant, Thomas Vidal Teixeira e Jorge Zipperer). Com isso vai cair pelo menos 60% do fluxo que hoje temos na Barão do Rio Branco.

Para elaboração do plano fizemos contagens volumétricas e uma série de cálculos. Tivemos uma equipe com mais de 14 profissionais da engenharia e arquitetura. A Polícia Militar também nos ajudou muito. Contamos com a participação da comunidade, realizamos dez seminários e três audiências públicas. Foi algo bem estudado. Sabemos que isso traz um pouco de transtorno, mas essas mudanças são necessárias. Além disso, sem essa alteração no Centro não temos como fazer o binário na Avenida São Bento e Antônio Kaesemodel futuramente (assunto retomado no final da entrevista).

Barão do Rio Branco terá duas pistas no sentido atual, e
uma mão-inglesa, levando sentido Corpo de Bombeiros

O estacionamento que existe entre a loja Tecidos Scherer e a Praça Getúlio Vargas no período da noite continuará existindo?
Vamos criar bolsões de estacionamento, a princípio prioritários, para uso de idosos, deficientes, embarque e desembarque. Na via (Barão do Rio Branco) não serão mais três pistas, somente duas. Também vamos colocar uma ciclofaixa, que sairá do Calçadão em direção à Barão do Rio Branco, Benjamin Constant e vai até o Loteamento Santa Fé (na Rua Alberto Torres, no bairro Centenário).

Esse aumento de veículos (em 75%) em uma década mostra que cada vez mais teremos que criar alternativas. Com isso, serão menos ofertas de vagas de estacionamento. É questão que a comunidade tem que se atrelar.

As vagas de estacionamento do lado esquerdo da Rua Jorge Zipperer serão eliminadas para construção de uma ciclovia. Essa modificação pode prejudicar os moradores e comerciantes da via?
Todo comércio deve ter o seu estacionamento. É uma lei e bem antiga. A empresa que quer se instalar e obter o alvará de funcionamento precisa ter vagas internas. Mesmo assim, ali ainda serão colocadas algumas vagas, mas poucas.

No plano temos ações imediatas e vamos cumprir praticamente todas elas. A única ação que nos faltará será a implantação da primeira ciclovia interligada, do Santa Fé até a estação de tratamento de esgoto do bairro Cruzeiro. Isso será um fato histórico, pois hoje temos uma série de ciclofaixas espalhadas pela cidade, mas elas não se interligam e não levam a lugar nenhum.

Qual a rota a ser utilizada para quem está próximo à Praça Getúlio Vargas e deseja seguir para a Sociedade Ginástica e Desportiva São Bento usando um automóvel?
Como terá mão inglesa, o caminho mais perto será a Rua das Acácias, ao lado do Shopping Zipperer. O motorista poderá descer pela Egon Hussmann, pegar a Capitão Ernesto Nunes e entrar na rua do Ginástico.

E o acesso à Igreja Matriz Puríssimo Coração de Maria, como será feito?
O motorista seguirá o mesmo caminho citado para o Ginástico. Já quem vem da Oxford, por exemplo, seguirá pela Rua Felipe Schmidt (do Banco do Brasil) e quando chegar na Rua Barão do Rio Branco pegará obrigatoriamente a direita. Depois passará na frente do Corpo de Bombeiros, a Benjamin Constant e a Jorge Zipperer até entrar na Egon Hussmann.

Teremos um aumento de percurso para alguns trechos. A intenção principal desse binário é desviar a Barão do Rio Branco. Só passará por essa via morador local ou quem realmente precisa usar o Centro. Caso contrário, os motoristas irão desviar.

A ligação de todas as ciclovias ocorrerá pela Jorge Zipperer (Delegacia). A Capitão Ernesto Nunes (Kako’s) não terá ciclovia?
Neste primeiro momento optamos por não fazer porque tem muitos trechos críticos na Capitão Ernesto Nunes e, desta forma, teríamos que passar pela Rua Jorge Lacerda (Prefeitura).

Tem chance do sistema rotativo ser implantado nessas ruas?
Existe a possibilidade. Já estudamos a implantação na Rua Benjamin Constant. Temos um contrato de prestação de serviço com a empresa que aluga os parquímetros para 700 vagas. Portanto, se aumentar o número de vagas, teremos que aumentar o custo de locação. Então, temos que buscar o equilíbrio.

Rua Jorge Zipperer terá sentido único do Centro em direção aos bairros

A rota dos transportes coletivos acabará sendo alterada com as mudanças. Como os pontos de ônibus serão realocados?
Os ônibus que saem do Centro em direção aos bairros Centenário, Brasília, Progresso, não sofrerão mudanças porque já fazem esse trajeto. Quando eles vêm desses bairros para o Centro, acabam fazendo o mesmo percurso e, com as alterações, não poderão fazer mais. Eles terão que seguir direto pela Capitão Ernesto Nunes e pela Jorge Lacerda e parar no terminal. Quem precisar acessar a rua da delegacia vindo desses bairros, portanto, terá que passar pelo terminal Central e pegar outro ônibus. Vale lembrar que os terminais são integrados e o passageiro não terá que pagar novamente pela passagem.

Para quem circula dos bairros em direção ao Centro, qual será o último ponto que terá na Rua Capitão Ernesto Nunes? Já tem um estudo sobre isso?
Não chegamos a detalhar esse estudo. Provavelmente nas proximidades do Germânia Super Center haverá alguma alteração. Como a via é larga, teremos condições de fazer uma parada de ônibus.

Conversamos com todas as empresas que serão afetadas pela mudança, como o Germânia, a Panificadora São Bento, a Condor, para buscar soluções em conjunto. Partimos do pressuposto que não somos donos da verdade. Ao longo da implantação, com certeza haverão ajustes para melhorar cada vez mais o fluxo de pedestres, pessoas, e assim por diante.

Falando em Padaria São Bento, existe algum estudo sobre a Transpão?
Sim. Os estudos iniciaram nos anos 1990, ainda com Frank Bollmann. Nós continuamos na gestão do Silvio Dreveck e fizemos o projeto na primeira gestão do Magno Bollmann, em 2010, mas não saiu ainda por questões ambientais.

É um projeto grande e o impacto será enorme. Todo o fluxo de pessoas que circulam do leste (Centenário, Brasília, Progresso) utilizarão a via para seguir até a Antônio Kaesemodel. Com certeza irá trazer muita mobilidade.

Tem previsão de implantar o binário envolvendo a Rua Antônio Kaesemodel e Avenida São Bento?
No PlanMob aparece como uma ação de curto prazo, portanto, teremos até 2024 para implantar. Acredito que em 2022 deve ser implantada, mais tardar em 2023. A grande dificuldade desse binário é a distância entre as duas vias e a falta de ruas transversais entre elas.

Quando pavimentamos a Avenida São Bento, há 20 anos, muitas pessoas já perguntavam se iríamos fazer o binário. Na época, não havia necessidade por conta do fluxo de veículos. Uma série de coisas ainda precisa ser resolvida, principalmente envolvendo o Centro. Não adianta trazer os veículos de forma rápida e na área central afunilar. E vice-versa. Não podemos levar os automóveis de forma rápida até Oxford e lá não ter fluxo.

No ano passado foi anunciado um binário entre as ruas Luiz Bollmann, 25 de Julho e das Neves, no bairro 25 de Julho. Tem previsão de quando isso será feito?
Levantamos esse projeto no final do ano passado, mas tivemos um problema com o pavimento asfáltico da 25 de Julho e teremos que fazer o recape. Mesmo assim a intenção é implantar até abril. Será um pequeno binário, semelhante ao que foi feito em Oxford. Consiste em fazer o giro na quadra para distribuir e tornar o fluxo mais seguro. Basicamente na engenharia de trânsito falamos que é acabar com a conversão a esquerda, que causa riscos de acidentes.

Mudança também será implantada em cruzamento do bairro 25 de Julho

Como funcionará esse binário?
Quem trafegar pela Rua das Neves sentido Serra Alta será obrigado a entrar na Rua Olga Lobermeyer (Presel Materiais Elétricos). A Rua 25 de Julho neste pequeno pedaço também será mão única. O transtorno é quem vem da Luiz Bollmann sentido 25 de Julho, obrigatoriamente terá que fazer o anel à direita. Aumenta um pouco percurso, porém, melhora também a segurança.

Em relação ao binário que seria implantado no bairro Serra Alta. Como está o projeto?
O projeto foi abandonado. Quando estudamos o binário, a intenção era acabar com os engarrafamentos. Depois de estudos e testes decidimos abortar a mudança porque cerca de 80% dos usuários seriam prejudicados. É diferente do Centro. A solução que encontramos não é a que queríamos, mas acredito que conseguimos organizar o trânsito. Não houve mais registros de acidentes e os engarrafamentos diminuíram.

Tem previsão de realizar mais uma audiência pública sobre as alterações no anel central?
Não. Mesmo assim continuamos à disposição da comunidade para tirar dúvidas.

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.