Geral

17/07/2021 09:46

DIVERSIDADE

Pais e pastores questionam trabalho LGBTQIA+ em escola de Rio Negrinho

DIVULGAÇÃO

Imagem gerou bastante discussão nas redes sociais

Fabiano Kutach - fabiano@gazetasbs.com.br

Rio Negrinho

A foto de estudantes montando um trabalho LGBTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, travestis e intersexo) agitou as redes sociais e a comunidade. A imagem foi registrada na escola municipal Henrique Liebl, em Rio Negrinho, e foi compartilhada exaustivamente em grupos de WhatsApp e no Facebook, acompanhada de palavras de indignação.

O pastor Ismael Azevedo dos Santos, presidente do Conselho de Pastores de Rio Negrinho, conta que ele, assim como outros pastores de Rio Negrinho, foram procurados ao longo do dia, questionando a ação da escola. “Não somos contra a pessoa, contra diretor, contra escola, é uma indignação que afetou tão forte os pais que alguns querem saber o que aconteceu, nos perguntaram o que aconteceu e desaprovando completamente a conduta do professor. A conduta dele é livre e é algo particular dele, mas enquanto Conselho desaprovamos essa prática de ideologia de gênero com as crianças, em uma escola de ensino básico”, informa.

Na sexta-feira (16) os pastores estiveram reunidos com os vereadores para que um requerimento de informação seja feito à Secretaria Municipal de Educação, questionando o trabalho na escola. “Sabemos que este é um tema controverso, alguns defendem que esse assunto seja falado, outros são contrários, mas isso não pode ser feito na escola. Conversamos com os vereadores para que, mediante o que a lei permite, seja feito um requerimento pedindo esclarecimentos à Secretaria Municipal de Educação”, destaca.

Nota de esclarecimento

Diante da polêmica envolvendo a imagem, a EMEB Henrique Liebl emitiu uma nota de esclarecimento sobre o tema:

"A Direção da EMEB Prefeito Henrique Liebl vem a público trazer esclarecimentos quanto a atividade que foi desenvolvida na escola no dia de ontem no final do período vespertino, onde a Liberdade de Escolha do Ser Humano e a Expressão Corporal era o objetivo principal da atividade proposta pelo professor responsável.

Esclarecemos que em nenhum momento foi imposto a ideologia aos alunos e conforme o planejamento do professor, foi uma abordagem de entendimento e de escolhas às adversidades.

Ressaltamos que sempre preservamos o respeito, a educação, a responsabilidade e a ética em nosso trabalho realizado diariamente com os alunos.

Pedimos desculpas se em algum momento alguém se sentiu ofendido e ressaltamos que as medidas cabíveis serão tomadas para o caso, dentro dos preceitos legais. Nos colocamos a disposição para quaisquer esclarecimentos.

Atenciosamente, Direção e Equipe Pedagógica"


Confira mais notícias no jornal impresso. Assine A Gazeta agora mesmo pelo WhatsApp (47) 99727-0414. Custa menos que um cafezinho por dia! ☕

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.