Geral

20/05/2020 09:18

EVENTO VIRTUAL

Os caminhos esperados para a economia após o fim da pandemia do coronavírus

REPRODUÇÃO

Encontro online debateu o futuro da economia após fim do cenário atual

Matheus Müller - matheus@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

A Associação Empresarial de São Bento do Sul (Acisbs) promoveu na noite de segunda-feira (18) um webinar para tratar sobre o tema “Novo normal: vida pós-covid-19”. O evento foi comandado pelo presidente da entidade, Ismar Becker, que apresentou uma série de estudos sobre os prováveis caminhos que serão percorridos a partir da estabilização do novo coronavírus.

Dentro do que foi exposto, Ismar acredita que o mercado consumidor vai mudar de patamar. As pessoas vão ter menos dinheiro durante um bom tempo, e se tiverem, vão se preocupar em usar melhor essa quantia. “Elas vão querer mais valor pelo mesmo dinheiro pago hoje”, cita. Ai entra a customização extrema, por exemplo, com o cliente buscando um produto feito e adequado para ele. “Esta mudança já estava em andamento, não é algo que aconteceu por conta do coronavírus, ele só acelerou o processo, como outras pandemias no passado também aceleraram”, completa.

Altos e baixos
O presidente da Acisbs apresentou no webinar um quadro com as mudanças na economia causadas pela pandemia. Alguns setores como tecnologias, varejo e indústria farmacêutica tem tendência de crescimento no pós-vírus, assim como os produtos de consumo. “As pessoas vão ficar mais em casa e querer produtos melhores nas suas residências”, acredita Ismar.

Por outro lado, alguns setores devem ter mais problemas, citando em especial o turismo. Mas ele acredita que a queda nas viagens se dará a nível internacional, beneficiando o turismo mais regional. “As pessoas vão viajar, mas ao invés de ir para Europa e Estados Unidos, vão pegar seus carros e ir para lugares próximos como São Bento, Blumenau, Balneário Camboriú, citando algumas próximas”, comenta, prevendo também a redução de viagens de negócios, seminários, feiras e visitas a clientes. “Não tem porque ir até o local, basta fazer contato on-line”, reforça.

O presidente da Acisbs também acredita que haverá uma pressão para redução de preços, já que a demanda caiu e a concorrência é maior. Isso ocorre pois o cliente passou a se questionar se algumas coisas que ele adquire são realmente necessárias, levando em conta a queda de renda e o mercado recessivo. “Vamos ter durante muito tempo uma dificuldade de vendas, até pela preocupação de crédito”, cita.

Confira mais detalhes do encontro virtual no jornal impresso desta quarta-feira (20).

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.