Geral

15/07/2019 09:45

PENITENCIÁRIA

Obra da penitenciária não começa por culpa do governo, garante Prefeitura

Joberth Krause / Divulgação

Semana passada o prefeito Magno Bollmann visitou terreno da obra

Da redação - editoria@gazetasbs.com.br
São Bento do Sul

A novela em torno da construção da penitenciária industrial de São Bento do Sul tem novo capítulo. Desta vez, o problema é a falta de entrega de documentos por parte do governo do Estado. Sem isso, a Prefeitura não tem como autorizar o início dos trabalhos. Desde a assinatura da ordem de serviço, feita pelo governador Carlos Moisés (PSL), já se passaram 50 dias. Ele esteve em São Bento do Sul no dia 21 de maio.

Nesta semana o prefeito Magno Bollmann (PP) esteve no local e desde a assinatura da ordem de serviço, somente são vistos no local estacas e a ligação de água feita pelo Samae. Conforme o prefeito, a expectativa era de que os trabalhos tivessem iniciado para serem concluídos com agilidade. "A sociedade necessita deste espaço", disse.

A engenheira Valkiria da Cunha Buss, da empresa responsável pela obra, a Salver Construtora e Incorporadora, de Ituporanga, explicou que as obras ainda não iniciaram porque a ordem de serviço não está liberada, pois não há o alvará de construção que deve ser emitido pela Prefeitura. 

O secretário de Planejamento de São Bento do Sul, Luiz Claudio Schuves, explica que, de fato, o alvará de construção ainda não foi emitido pelo motivo da Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania de Santa Catarina ainda não ter enviado os documentos exigidos pela Prefeitura para emissão do alvará de construção. Com a emissão deste alvará, a construtora poderá dar início às obras, que tem prazo de conclusão de 24 meses.

Confira mais informações sobre o impasse no jornal impresso desse fim de semana (13 e 14).

Comentários

“Resolução de conflitos envolvendo a administração pública por mecanismos consensuais “ (1)entre outros práticos e objetivos textos citados como amostragem (2) sugerem que a alternativa de utilização adequada de meios consensuais para a solução dessa divergência deve contar com quadros da prefeitura aptos e plenamente capacitados , resolvendo o impasse e propiciando a continuidade das obras. Há portanto precisão de providencia/planejamento de valia para solução tanto desse peculiar momento dificultoso à expedição do necessário alvará pela prefeitura, como para solução de persistentes problemas relacionados com o meio ambiente em São Bento do Sul os quais em muito interferem negativamente na qualidade de vida de moradores/trabalhadores. Os capítulos dessas novelas envolvendo a prefeitura já foram suficientes. (1)“Resolução de conflitos envolvendo a administração pública por mecanismos consensuais “ .. http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/2/2137/tde-21032016-140915/pt-br.php (2)https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/194916/000865481.pdf (2) https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/a-importancia-da-mediacao-e-da-conciliacao-no-setor-publico/
Paulo A Accorsi de Godoy 23/07/2019 08:32
 
Deixe seu comentário

+ sobre Geral

Leia mais...

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

A Gazeta - Rua Mal. Floriano, 22 - Centro - São Bento do Sul/SC - Telefone (47) 3203-0022