Geral

14/08/2019 08:40

MOBILIDADE

Nova empresa deve ser chamada para implantação de calçadas em São Bento

Matheus Müller / Jornal A Gazeta

Em alguns trechos houve somente a retirada da antiga calçada

Matheus Müller - matheus@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

Ainda devem demorar algumas semanas para que as obras nas calçadas da Avenida Nereu Ramos, no Centro de São Bento, sejam concluídas. Os trabalhos iniciaram na metade de julho, mas problemas com a empresa contratada fizeram com que houvessem sucessivos atrasos. Com isso, a Samae está em processo final de rescisão de contrato com a empresa MHD, de Minas Gerais, o que deve ser oficializado nos próximos dias.

Os problemas com a empresa mineira já iniciaram antes do começo das obras, que estavam marcadas para o dia 1º de julho, mas foram adiadas para o dia 15 por pedido da empresa. A empresa também deveria trabalhar na Henrique Schwarz, nos fundos do Hospital Sagrada Família, o que não foi cumprido. Outras irregularidades foram notificadas durante o processo de implantação na Nereu Ramos, até que o Samae decidiu pelo rompimento do contrato na última sexta-feira (9).

Com isso, a MHD tem até esta sexta-feira (16) para apresentar sua defesa contra a rescisão, o que não deve alterar a situação, tendo em vista as irregularidades cometidas pela empresa. Assim, a partir da próxima semana, a autarquia entrará em contato com a empresa que ficou em segundo lugar na licitação – a Lanal, de São Bento do Sul - para que ela assuma os trabalhos no local. Caso a empresa não se interesse, precisará ser feita uma nova licitação.

A expectativa é de que o local esteja pronto até o fim do mês, por conta da grande movimentação de turistas esperados no município em setembro, devido à Schlachfest. Inclusive, o desfile da festa passa pela Nereu Ramos, com grande acúmulo de pessoas nas calçadas para assistir o evento.

Confira mais informações sobre o problema no jornal impresso desta quarta-feira (14).

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.