Geral

22/01/2022 11:01

DATA ESPECIAL

Nascida e criada em São Bento do Sul, dona Theolinda completa 100 anos

DIVULGAÇÃO

São-bentense teve dois filhos, cinco netos e até o momento conta com dois bisnetos

Elvis Lozeiko - elvis@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

Dona Theolinda Kobs entra para o seletíssimo grupo de pessoas com 100 anos de vida. Nascida em 22 de janeiro de 1922, ela é natural de São Bento do Sul mesmo, e mora no Centro, embora tenha nascido e se criado no bairro Serra Alta. Filha de Otto e Maria Roesler, dona Theolinda foi casada com Paulo Kobs, tendo dois filhos (Maria Elisa e Paulo Roberto), cinco netos (Alexandre, Adriana, Ariovaldo, Vanessa Cristine e Eduardo Rafael) e dois bisnetos (Joaquim e Lorena).

“Muita gratidão a Deus pela existência dessa mulher incrível. Pedimos ao Criador muita saúde e vida para ela, para que possamos desfrutar da sua companhia e dos seus ensinamentos por um bom tempo ainda”, destacam seus familiares.

A ilustre são-bentense trabalhou nos estabelecimentos comerciais dos irmãos João e Emma Zulauf e, na vida social, um dos destaques foi sua participação ativa como integrante do Coral Santa Cecília por 70 anos, no qual iniciou quando ainda era solteira.

À Sociedade Literária São Bento, se dedicou por 30 anos, até 2014. “Em meios às centenárias e contemporâneas publicações, das quais tinha cuidado especial, dona Theolinda organizava o acervo e atendia os associados e turistas com especial atenção. A Literária sempre foi um segundo lar e uma paixão em sua vida!”, divulgou a entidade, em suas redes sociais, citando que ela organizava o fichário dos livros, recebia mensalidades e recebia os associados para pesquisas.

Fotografia destaca bom humor de Theolinda na juventude

O professor doutor Romeu Rössler Telma publicou no blog São Bento no Passado que “Tante Linda”, como sua tia é conhecida, sempre carregou consigo marcas como o desprendimento e a prontidão para ajudar. Com o bom humor e com a experiência que acumulou – inclusive com os livros –, a aniversariante do dia sempre teve atitudes pessoais simples, objetivas e cordiais, segundo ele, o que lhe garantiu inúmeras amizades.

Ao publicar o artigo, Romeu também divulgou algumas fotos de seu acervo, tal qual a de Theolinda com “Myko”, o cão da casa do pai Otto, e com a característica sombrinha utilizada no passado para proteção contra o sol. Contudo, não há data da fotografia ou época do registro.

Ancestralidade
Conforme o pesquisador são-bentense Henrique Fendrich, do referido blog, Theolinda é neta de Johann Rösssler, imigrante de Reichenau, na Boêmia, em 1860, chegando a São Bento após aportar como imigrante em São Francisco do Sul, em 1876. “Morto precocemente em 1905, aos 45 anos, depois que um galho de bracatinga caiu sobre si durante a derrubada de uma mata, Johann deixou nove filhos com as duas esposas que teve”, explica Henrique.

“Com a primeira esposa, Amalia Preussler, foi pai de Otto, Raymundo, Emma Amália, Maria e Anna Roesler. Após o falecimento de Amalia em 1893, Johann voltou a se casar – com Franziska Mühlbauer, viúva de Anton Augustin. Com esta segunda esposa, foi pai de Bertha, Júlia, João e Emília Roesler”, ressalta Henrique.

  • YouTube: Inscreva-se para assistir as matérias de A Gazeta.

Confira mais notícias no jornal impresso. Assine A Gazeta agora mesmo pelo WhatsApp (47) 99727-0414. Custa menos que um cafezinho por dia! ☕

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.