Geral

07/07/2020 14:55

NATUREZA

Medo da queda de árvores perto de residências aumenta após ciclone

ELVIS LOZEIKO / JORNAL A GAZETA

Aposentado tenta pedir ajuda há anos para o corte das árvores

Elvis Lozeiko - elvis@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

Horas antes do ciclone chegar a São Bento do Sul e região, na semana passada, o aposentado Ambrozy Pykocz olhava com temor para o alto. O motivo: araucárias existentes em terrenos próximos à sua residência, localizada na rua principal do bairro Schramm. Ambrozy afirmou que há tempos tenta uma solução para as ameaças. 

A residência do aposentado fica em frente à Escola Básica Municipal (EBM) Henrique Schwarz, na qual também há árvores que, segundo ele, igualmente oferecem perigo à comunidade escolar e a moradores próximos. Porém, o procedimento para viabilizar o corte de árvores não é assim tão fácil.

Procedimentos

As pessoas interessadas em iniciar os trâmites para verificar a possibilidade de corte de árvores devem procurar inicialmente a Defesa Civil Municipal, conforme o coordenador do órgão, Amarildo de Jesus. "Então fazemos uma vistoria com a posterior emissão de um parecer, no qual vai constar se há risco ou não. Ou seja, a Defesa Civil não faz o corte e nem os autoriza, apenas faz o parecer", disse.

O secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Marcelo Hübel, esclarece que, desde 2016, a Prefeitura tem um convênio com o Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA/SC), o qual lhe permite gerir o corte de vegetação em casos específicos. No caso do trâmite para corte de árvores que oferecem perigo à vida ou ao patrimônio, o risco pode ser comprovado por meio da apresentação de um laudo técnico que também pode ser assinado por profissionais como biólogos, agrônomos e engenheiros florestais.

A documentação, então, é encaminhada ao Consórcio Quiriri, que vai se manifestar favorável ou desfavorável ao corte. Por fim, quem autoriza ou não o corte é a própria Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente. Tendo a autorização, o proprietário então efetua o corte por conta própria ou contrata um terceiro.

Mais informações
Pelos telefones 3633-1132 (Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente), 199 (Defesa Civil), 3512-9903 (Consórcio Quiriri) e 3647-0540 (Corpo de Bombeiros). No site da Prefeitura, ao acessar o link "Serviços" e, depois, o campo "Gestão florestal", é possível encontrar as instruções normativas para diferentes situações, como o corte de árvores e o aproveitamento de árvores derrubadas por ação da natureza (para fazer lenha), por exemplo.

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.