Política

27/02/2020 11:02

LEGISLATIVO

Márcio Dreveck falou sobre a prisão, denúncia e "artimanha" política

ALEXANDRE CARVALHO / JORNAL A GAZETA

Dreveck pôde se pronunciar durante a sessão especial

Alexandre Carvalho - alexandre@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

O vice-prefeito Márcio Dreveck (PP) falou em público ontem pela primeira vez após ser denunciado e preso no começo de julho do ano passado, acusado por coação de testemunhas do inquérito policial que apurava o pagamento de "rachadinhas". O pronunciamento ocorreu antes da votação do julgamento da Comissão Processante instaurada na Câmara de Vereadores, a qual o absolveu da denúncia de cassação de seu mandato.

Márcio falou sobre os momentos “agonizantes e humilhantes” que ele passou na prisão. “Eu estava trabalhando quando fui surpreendido pelo fato da prisão por coação de testemunha, iniciando neste momento uma das fases mais terríveis e sofridas de minha vida. É indescritível passar por tudo o que a gente passou. Sobre o futuro não sei, mas já foi uma cruz muito grande que carreguei”, disse, emocionado.

Ele citou que os trâmites dos processos tanto na Justiça como na Câmara “dilaceram” qualquer ser humano. “Foi humilhante. Passei muita solidão, angústia, passei muito frio, diversas necessidades. Estava em um local sem um pingo de luz do sol. Fiquei totalmente desorientado, não sabia se era dia ou noite. Os alimentos recebia em um potinho, sem colher, tinha que usar as pontas dos dedos para me alimentar”, continuou.

Sem credibilidade
Dreveck salientou que sua prisão se resume ao depoimento de um cidadão que não tem credibilidade. Ele se referia a Francisco dos Santos, que foi o principal delator do suposto esquema de rachadinhas. “Fui preso por uma história inventada por um cidadão sem credibilidade nenhuma. Por que ele não está sem São Bento e não veio dar seu depoimento aqui na Câmara? Porque existe um Boletim de Ocorrência envolvendo ele em uma situação muito sórdida que esta pessoa está envolvida. Essa situação sim que é gravíssima, que nenhum ser humano na face dessa terra devia passar. Ele inventou tudo isso e fez a gente passar por tudo isso”, lamentou.

Veja mais detalhes sobre o pronunciamento no jornal impresso desta quinta-feira (27).

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.