Geral

29/06/2020 09:18

EFEITO CORONAVÍRUS

Mais de 1,6 mil alunos carentes recebem o kit alimentação em São Bento

DIVULGAÇÃO

Itens são levados pelos pais para serem utilizados na alimentação

Matheus Müller - matheus@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

Com as instituições de ensino municipal fechadas, os produtos que seriam utilizados para a alimentação escolar estão sendo doados para famílias carentes do município, cujo filho está matriculado em uma das escolas da cidade. A prática vem ocorrendo desde o início de abril, beneficiando milhares de estudantes.

Para ter direito, a família do aluno da rede municipal precisa atender alguns requisitos, como ser atendida pelo Bolsa Família e estar no Cadastro Único. Além disso, se os pais estiverem desempregados ou forem autônomos, têm direito ao benefício. Apesar do município ter uma boa realidade socioeconômica em comparação com outras regiões do Brasil, ainda há alunos que dependem da alimentação escolar, onde esta era a única refeição diária com alimentos cozidos.

Ao todo, já foram mais de sete mil kits entregues, em um investimento de mais de R$ 313 mil. A secretária municipal de Educação do município, Noeli Regina Novak dos Santos, lembra que foram mantidos todos os contratos de alimentação, muitos deles com agricultores da região. Assim, além de ajudar os alunos, auxilia os produtores locais que trabalham com frutas, verduras, ovos e legumes.

A secretária ressalta que o kit não se trata de uma cesta básica, sendo montada com em média cinco itens secos variados, como macarrão, arroz, feijão, farinha de trigo, entre outros, mais frutas, ovos e verduras. Os kits contam com itens diferentes, conforme a disponibilidade dos alimentos.

Retirados na escola
Os kits são montados na unidade escolar, onde os familiares dos alunos vão buscar com horário marcado, para evitar aglomeração, usando máscara e com álcool em gel disponível. Eles assinam um recibo de entrega e já saem com os alimentos. Noeli lembra que tudo é prestado contas através do Conselho de Alimentação Escolar (CAE), já que o valor utilizado para adquirir os alimentos vem do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.