Política

02/01/2019 08:36

EXECUTIVO

Magno Bollmann sonha em abrir novo hospital até o fim da sua gestão

Arquivo / A Gazeta

Prefeito de São Bento já havia comentado sobre a possibilidade

Da redação - editoria@gazetasbs.com.br
São Bento do Sul

O prefeito Magno Bollmann diz que um sonho que pretende realizar até o fim de sua gestão será a abertura de um novo hospital em São Bento do Sul. Ele acredita que isso será possível, tendo em vista que nos próximos meses a Prefeitura inicia a construção de um novo empreendimento médico, que será um Pronto Atendimento no antigo prédio do condomínio empresarial, no bairro Colonial.

Quase R$ 2 milhões foram disponibilizados por meio de emenda do deputado estadual Silvio Dreveck (PP). “É uma coisa que vou correr atrás. Já pensou um hospital em nossa cidade oferecendo vários procedimentos médicos de baixa e média complexidade? Poderíamos servir os municípios de nossa região e nos tornar um polo de saúde. É um sonho que espero poder realizar”, disse o prefeito, à coluna.

A informação foi publicada na coluna Panorama Político
do jornal impresso desta sexta-feira, dia 28 de dezembro.

Comentários

Não conseguem nem manter o básico, falta dinheiro para manutenção dos atendimentos de sobreaviso em cardiologia e neurologia, passaram o ano de 2018 num empurra empurra nos convênios entre o Hospital do Rocio e agora com o São Vicente de Paulo de Mafra, e agora acha que vai ter recursos para manter toda uma estrutura de atendimento digna de um hospital. Construir ou reformar é uma coisa, agora contratar todos profissionais, e manter é outra. Vai reformar ou construir algo para ficar abandonado, outra obra como a " ponte para lugar nenhum." Enquanto ele sonha com o hospital, eu sonho em um dia termos políticos mais eficientes e responsáveis na aplicação dos recursos públicos e menos preocupados em alocar dentro da prefeitura seus aliados políticos e cabos eleitorais. Gastam milhares de reais na reforma da praça Getúlio Vargas, "tomada por tendas de comércio", enquanto muitos bairros nem praças possuem, a praça Leopoldo Rudnick, desde 2017 esta sem bancos.
Fernando Blaszkoski 07/01/2019 11:39
 
Para iniciar o debate: 1- Dois milhões de reais não dá para nem começar um pronto atendimento, que dirá um hospital! 2- Quem não pode pagar plantão de Cardiologia e neurologia (tratam as ocorrências mais frequentes - Infarto e AVC), vai conseguir orçamento para pagar um corpo clínico de especialistas, enfermagem de plantão inteiro? 3- Nos últimos anos assistimos um desmonte da saúde pública em SBS. Estamos perdendo especialistas!
Deyse Scherer 07/01/2019 11:38
 
Deixe seu comentário

+ sobre Política

Leia mais...

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

A Gazeta - Rua Mal. Floriano, 22 - Centro - São Bento do Sul/SC - Telefone (47) 3203-0022