Política

05/03/2014 11:23

LEGISLATIVO

Kuhnen é a voz da oposição

Luzardo Chaves

Francisco Kuhnen está em sua primeira legislatura.

Luzardo Chaves - luzardo@gazetasbs.com.br

Campo Alegre

Conhecido pela postura de opositor no primeiro ano de sua primeira passagem pelo Legislativo, o vereador Francisco Kuhnen (PMDB) não esconde que tem adotado o posicionamento de oposição ao atual governo, mas diz que será feito conforme a expectativa do contribuinte.


Esporte


Como foi eleito com aval de uma parte dos desportistas do município, o vereador Francisco Kuhnen destaca que vai pedir um pouco mais de atenção para algumas questões envolvendo a pasta. “O esporte não pode ter divisões, temos que trabalhar para somar e trazer resultados benéficos para todos os praticantes das mais variadas modalidades. Uma das coisas que vamos ter que começar a verificar diz respeito aos melhoramentos do ginásio de esportes. Mas isso nós vamos trabalhar em conjunto e precisamos contar com o apoio do Executivo”, disse.

Chico diz que, se tratando de aprendizado, o primeiro ano foi muito bom. Ele diz que aproveitou para conhecer mais de perto as ações da câmara e as formas de fiscalizar com propriedade a Prefeitura. “Uma das funções do vereador é fiscalizar. Algumas pessoas nos atribuem alcunha de chatos, mas faz parte do trabalho do vereador. Estamos fazendo um trabalho consciente, tanto que, nas últimas duas semanas, ficamos em número maior na oposição se levarmos em conta que o presidente é voto de desempate. Mesmo assim, não derrubamos nenhum projeto, isso mostra que estamos atentos em aprovar aquilo que é bom para a cidade”, disse o vereador.

Para este ano, o vereador diz que está focado em continuar legislando conforme a necessidade da cidade, sempre buscando as melhores alternativas. Chico ainda destaca que, mesmo não sendo atribuição dos vereadores, em alguns casos, é preciso reivindicar à Prefeitura para que as coisas aconteçam. “Temos uma situação, por exemplo, ocorrendo em São Miguel, onde precisaremos intervir no sentido de melhorar o transporte escolar. Os estudantes estão correndo risco ao precisar atravessar o asfalto da rodovia. Se conseguirmos fazer com que o transporte adentre a antiga Dona Francisca, estaremos garantindo a segurança”, destaca.

Francisco destaca que essa é apenas uma das reivindicações, mas as demais vai tentar levar pessoalmente para a Prefeitura com o propósito de agilizar algumas questões para as famílias do interior e de algumas áreas próximas ao Centro da cidade.

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.