Geral

Siga-nos nas redes sociais

21/02/2020 10:33

ECONOMIA

Indústria moveleira registra vendas internas em alta desde dezembro

ARQUIVO / JORNAL A GAZETA

Comércio de móveis deve crescer quase 10% no primeiro trimestre

Região

O mercado brasileiro está dando sinais de estabilidade econômica, criando expectativa positiva para o setor moveleiro. O volume de vendas de móveis em 2019, segundo o IBGE, foi 5,8% superior ao registrado no ano anterior. No estado de São Paulo, que detém quase 30% do consumo brasileiro de móveis e é fortemente atendido pelas indústrias do polo local, o avanço foi de 15,6%. No varejo catarinense, o crescimento foi de 6,8%.

Segundo o presidente do Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Bento do Sul (Sindusmobil), Fernando Hilgenstieler, o bom desempenho do comércio em dezembro está se mantendo nesses dois primeiros meses de 2020. No Brasil, a venda de móveis cresceu 14% no mês de dezembro em comparação com o mesmo mês de 2018. “As lojas estão repondo os seus estoques devido às boas vendas antes do Natal”, informa.

A previsão do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Consumo (Ibevar) é que o comércio de móveis e eletrodomésticos cresça 9,8% no primeiro trimestre deste ano. O desempenho comercial favorável começa a refletir nas empresas fabricantes de móveis. Segundo levantamento da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), a produção industrial de produtos de madeira teve alta de 1,2% em Santa Catarina no ano passado. A indústria geral catarinense cresceu 2,2% em 2019, contra uma queda de 1,2% registrada na produção industrial brasileira.

O presidente do Sindusmobil destaca que as indústrias locais começaram a sentir resultados mais positivos a partir de maio de 2019, quando lojistas de todo o país vieram visitar e fazer negócios na Móvelbrasil. “Os investimentos realizados pelas empresas em design e qualidade, aliados à redução da instabilidade econômica, criaram um ambiente mais favorável aos negócios, que se manteve crescente ao longo dos meses”, avalia Hilgenstieler.

Empregos
O reflexo do desempenho no varejo também foi sentido na geração de empregos. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, houve um saldo positivo em 2019. Em janeiro do ano passado, haviam 5.039 empregos formais no setor de madeira e móveis em São Bento do Sul e 9.002 na região, incluindo ainda Rio Negrinho e Campo Alegre. Ao final do ano, o saldo positivo entre admissões e demissões foi de 117 vagas em São Bento do Sul e 210 na região.

Veja detalhes do mercado externo no jornal impresso desta sexta-feira (21).

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.