Geral

28/07/2020 17:50

COMBATE AO CORONAVÍRUS

Hospital Sagrada Família desmente partes de áudio de médico

Layra Olsen / Arquivo

Hospital frisa que ninguém teve atendimento negado, mas alerta que a situação é grave

Da redação - editoria@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

Circulou amplamente na manhã desta terça-feira (28) um áudio do Dr. Hugo Sakaguchi, integrante do corpo clínico do Hospital e Maternidade Sagrada Família. Em forma de desabafo, ele pede cuidado às pessoas e anuncia um caos na saúde pública de São Bento do Sul, por conta do avanço do coronavírus.

O hospital emitiu uma nota oficial no fim da tarde confirmando algumas informações repassadas, mas desmentindo algumas partes do áudio. “Informamos que até o presente momento não houve desassistência para nenhum paciente que necessitou de atendimento em nível hospitalar. Da mesma forma, não procede a informação que pacientes suspeitos ou positivados para Covid-19 estão internados na ala da maternidade. Tal situação é definida e evidenciada em protocolos assistenciais vigentes na instituição”, afirma nota oficial do hospital, assinada pelo próprio Dr. Hugo, juntamente com os médicos Henrique Schlichting da Silva e Giovani Erineu Schwingel.

Confira a nota oficial na íntegra:

Devido à comoção social provocada por áudio gravado e divulgado pelo Dr. Hugo Sakaguchi, médico integrante do corpo clínico, que atua na área de urgência e emergência do Hospital e Maternidade Sagrada Família, a direção técnica e clínica, como também o autor do áudio, vem a público para prestar os seguintes esclarecimentos:

Vivemos uma grave pandemia que assola todo o planeta, trazendo consequências também para o estado de Santa Catarina, à macrorregião do Planalto Norte e à cidade de São Bento do Sul. Apesar do cenário mundial ser bastante crítico, o Hospital e Maternidade Sagrada Família vem, desde fevereiro deste ano, antes mesmo do primeiro caso registrado no país, a criar e efetivar seu plano para o melhor enfrentamento daquela então “possível crise de saúde pública”, que se tornou fato. A estrutura hospitalar, a equipe multiprofissional, os equipamentos e os insumos de saúde foram e estão sendo otimizados, em monitoramento diário, graças à ação conjunta da administração, direção técnica, corpo clínico, equipe multiprofissional, poder público e sociedade civil.

Após ouvir a justificativa do Dr. Hugo, que se desculpou quanto a algumas informações repassadas de forma equivocada, informamos que até o presente momento não houve desassistência para nenhum paciente que necessitou de atendimento em nível hospitalar. Da mesma forma, não procede a informação que pacientes suspeitos ou positivados para Covid-19 estão internados na ala da maternidade. Tal situação é definida e evidenciada em protocolos assistenciais vigentes na instituição.

Os leitos de enfermaria e de UTI, como também os medicamentos especializados em desabastecimento pela indústria farmacêutica nacional, são otimizados para suportar a sobrecarga de pacientes suspeitos e confirmados com o Coronavírus. Existe sim a possibilidade de transferência de determinados pacientes para outras instituições, como também o acolhimento de doentes de outras cidades. Porém, essa é uma política de saúde nacional de integração assistencial em rede, devidamente regrada pelo SUS, com o intuito de melhor gerir os leitos e as especificidades de cada hospital, garantindo a integralidade e a continuidade da assistência à população.

O que existe é uma sobrecarga no sistema de saúde nacional, que acarreta em estresse aos profissionais de saúde, fato este gerador do desabafo do Dr. Hugo, que, por responsabilidade e empatia aos doentes e a toda a sociedade, acabou se exaltando e trazendo situações que não condizem com a realidade assistencial praticada pela instituição.

Segundo o Dr. Hugo, o intuito do áudio é alertar a sociedade civil em geral para o fato óbvio de que há uma escalada exponencial dos casos de Covid-19 no estado de Santa Catarina e que, não havendo atitudes de prevenção mais efetivas e praticadas, existe sim a possibilidade de sobrecarga não só do nosso hospital, como também de todo o sistema de saúde, que já opera próximo ao limite de sua capacidade.

Ao fim, segue o nosso pedido para que a comunidade atue de forma responsável, em especial aos integrantes do grupo de risco, seguindo as instruções em respeito ao isolamento social e as medidas de higiene e mobilidade por parte dos órgãos sanitários. Havendo necessidade de assistência médico hospitalar, tenham a certeza que há um esforço diário de todos os profissionais de saúde, médicos e outros, que atuam em nosso hospital, no intuito de prestar a melhor assistência possível nesse cenário incerto, histórico e mundial.

Contem conosco. Sempre!

Dr. Hugo Sakaguchi – CRM 10585/SC
Médico do Corpo Clínico HMSF

Dr. Henrique Schlichting da Silva – CRM 18775/SC
Diretor Técnico HMSF

Dr. Giovani Erineu Schwingel – CRM 8441/SC
Diretor Clínico HMSF

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.