Política

08/11/2019 08:24

INQUÉRITO CONCLUÍDO

Godoy teria simulado interrogatório com mais uma vítima de concussão

Arquivo / Jornal A Gazeta

Vereador se afastou do cargo após denúncias surgirem

Da redação - editoria@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

A Polícia Civil concluiu mais um inquérito sobre casos de concussão envolvendo o vereador licenciado César Godoy (PSB). Trata-se da investigação em torno das denúncias que surgiram durante os depoimentos das testemunhas do caso, envolvendo o ex-diretor de Comunicação da Prefeitura são-bentense, Ricardo Baum. Pela investigação, apurou-se que ele também foi vítima de concussão, pagando mensalmente R$ 1,2 mil mensais ao vereador desde que indicado ao cargo, no início do ano passado.

Conforme a Polícia Civil, diversas testemunhas foram ouvidas nesta fase da investigação. Os pagamentos só pararam após a operação da Divisão de Investigação Criminal (DIC) que resultou no cumprimento de mandado de busca e apreensão no gabinete do vereador, na Câmara. Em seu primeiro depoimento à polícia, Baum negou quaisquer pagamentos, mas na nova investigação, confirmou. Inclusive disse que antes do primeiro depoimento chegou a participar de um interrogatório “simulado”, com perguntas que poderiam ser feitas pela polícia, e detalhando como deveriam ser respondidas.

A Polícia Civil não divulgou nomes, mas informou que no mesmo inquérito existe um segundo indiciado, além de Godoy, por ter participado do crime de coação, “prestado auxílio material ao vereador em suas condutas”, diz somente trecho da nota divulgada quinta-feira (7). O caso agora está à disposição do Ministério Público e do Poder Judiciário.

Relembrando
A investigação em torno do falso testemunho de Baum começou durante depoimentos no fórum das testemunhas do caso já na fase de julgamento. A ex-estagiária do escritório de advocacia de Godoy contou que chegou a ir na Prefeitura para fazer o recebimento dos valores que eram entregues pelo ex-diretor de Comunicação. A partir daí, a Polícia Civil foi acionada para apurar o caso e comprovou que o ex-diretor havia mentido no primeiro interrogatório por ter sido coagido.

A informação foi publicada na coluna Panorama Político desta sexta-feira (8).

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.