Geral

27/03/2020 14:18

SAÚDE EM ALERTA

Fórmulas caseiras de álcool em gel podem ser perigosas

LAYRA OLSEN / JORNAL A GAZETA

Há vários componentes determinantes para o álcool gel matar o vírus

Layra Olsen - layra@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

O álcool em gel, sem dúvida, tem sido o produto mais requisitado nos últimos dias pelos brasileiros. O consumo em excesso e a grande procura fizeram com que os estoques em farmácias e supermercados cessassem. Por isso, muitas pessoas têm recorrido à internet em busca de receitas caseiras e, de certa forma, mais economia ao bolso.

Nas redes sociais viralizaram fórmulas utilizando gelatina incolor, gel para cabelo e álcool para acender churrasqueira. Em São Bento do Sul, há relatos até de pessoas que têm recorrido ao etanol comercializado em postos de combustíveis. A farmacêutica, professora e coordenadora da Unisociesc, Gabriela Kozuchovski Ferreira, alerta para esse tipo de conduta. “A receita caseira não funciona e ainda pode ser perigosa. O vírus é desconhecido e o uso inadequado do álcool pode deixar de ser uma arma de proteção contra ele e causar efeito contrário, como a potencialização de infecções, alergias e erupções cutâneas”, explica.

Gabriela também explica que as substâncias gelificantes geralmente só são encontradas em distribuidoras de produtos químicos, e não no mercado tradicional. A concentração de álcool, a estabilidade química, o tempo de evaporação do ativo são variáveis que impactam diretamente na eficácia do produto. “Estamos em uma época crítica e seria arriscado demais usar substâncias não comprovadas para evitar propagação da pandemia. É completamente irresponsável publicar receitas de álcool em gel caseiro”, avisa.

Na hora da compra
Líquido ou em gel, o consumidor precisa observar no rótulo do produto se ele possui o selo do Inmetro e se tem concentração 70% de álcool etílico. Em concentrações mais altas, o álcool evapora rápido demais, o que não é recomendado. Também é importante ficar atento à data de validade do produto. Alguns com componentes hidratantes ou óleos podem causar irritações na pele depois de vencidos.

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.