Geral

15/01/2020 08:56

MANIFESTAÇÃO

Familiares e amigos pedem justiça pela morte do motociclista Fabiano Boiko

Matheus Müller / Jornal A Gazeta

Manifestantes realizaram passeata até o Calçadão

Da redação - editoria@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

Familiares, amigos e conhecidos de Fabiano Boiko estiveram terça-feira (14) na Rua Jorge Zipperer, no Centro, em frente à Delegacia de Polícia, para protestar contra a impunidade no caso que vitimou o motociclista. Na madrugada de sexta para sábado (11), ele faleceu após ser atingido pelo motorista Udo Ziebarth, 42 anos, que estava embriagado, e mesmo assim acabou sendo liberado na sequência.

Após um período em frente à delegacia, os familiares de Fabiano foram recebidos pelo delegado regional Odair Rogério Sobreira Xavier, que falou sobre os trâmites da investigação. Na sequência, eles seguiram em caminhada até o Calçadão. A mulher de Fabiano, Bruna Gonçalves, relata que o objetivo do protesto foi de buscar justiça para seu marido, lamentando que o responsável pela sua morte tenha sido solto momentos depois do crime. “A lei seca existe só no papel? ”, indaga.

Muito abalada pelo ocorrido, ela lembra a tristeza que a família vem enfrentando, inclusive a filha do casal, de apenas 10 anos. “É muita dor, um vazio que não tem como explicar”, cita, lembrando que ambos trabalhavam juntos na loja Bem Bella Modas, no Centro. “Estávamos todo o tempo juntos, ele era meu braço direito e esquerdo, e agora estou sozinha, nada vai trazê-lo de volta”, completa.

Relembre o caso
Por volta da 00h15 de sábado, o motociclista Fabiano Boiko, 33 anos, foi atingido por uma Ford Ranger na Avenida São Bento, próximo à Igreja Bola de Neve. Fabiano trafegava sentido bairro/ Centro quando teve sua frente cortada pela Ranger, que vinha no sentido contrário e fez uma conversão à esquerda, ocorrendo a colisão frontal. O motociclista chegou a ser atendido pelo Samu e Corpo de Bombeiros, sendo encontrado no local do acidente com parada respiratória, mas não resistiu aos ferimentos.

Udo Ziebarth, motorista da Ranger, chamou os Bombeiros solicitando socorro, mas antes da chegada dos policiais foi para casa. Ele foi detido em casa, onde realizou o teste do bafômetro, que apresentou resultado de 0,91 miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões. Porém, após ser encaminhado para a delegacia, ele acabou liberado. Apesar disso, ele vai responder por homicídio qualificado.

Manifestantes se reuniram na Delegacia antes de seguir ao Centro

Protesto reuniu mais de 100 pessoas

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.