Geral

26/06/2019 10:28

RITMO LENTO

Falta de empresas interessadas atrasa obra na Praça Getúlio Vargas

Matheus Müller/ Jornal A Gazeta

Obras seguem no banheiro, e devem durar mais 30 dias, aproximadamente

Matheus Müller - matheus@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

Mais de um ano depois do início das obras na Praça Getúlio Vargas, os trabalhos seguem em ritmo lento. Até o momento, a instalação dos três pergolados no local está praticamente concluída, enquanto os banheiros seguem em obra, devendo estar prontos nos próximos 30 dias.

Os pergolados poderão ser utilizados para diferentes finalidades, como realização de eventos artístico-culturais, ou para a comercialização de produtos coloniais e artesanais, sendo que neste caso ainda está sendo estudado a melhor maneira de implantar a ideia. Cerca de R$ 200 mil estão sendo investidos nesta parte da obra.

Sem interessados
O principal problema para a falta de andamento mais ágil das obras se dá pela falta de empresas interessadas em tocar uma importante parte da reforma, que inclui instalação de piso, concreto, jardinagem e iluminação. Já foram realizadas três licitações para contratar uma empresa responsável por esta etapa da reforma, mas até agora não houve sucesso.

O secretário de Planejamento e Urbanismo, Luiz Cláudio Schuves, explica que a última das três licitações realizadas ocorreu na semana passada. Até existem empresas interessadas em tocar a obra, mas elas alegam que o valor máximo oferecido, de R$ 418 mil, torna o negócio inviável.

Por conta disso, ainda na semana passada, a equipe da Secretaria de Planejamento se reuniu com a Caixa Econômica Federal, responsável pelo repasse da verba para a reforma, por se tratar de dinheiro do Ministério do Turismo. Na reunião, foi negociado um aumento no valor máximo da licitação, para que no próximo pregão seja possível atrair empresas interessadas na obra.

Agora, o momento é de espera, aguardando o aval final da Caixa Econômica para alterar o valor máximo oferecido na licitação. Esta quantia ainda não está definida, mas acredita-se que deve ser pelo menos 10% acima do valor máximo colocado na última licitação.

Mobiliário licitado
A parte do mobiliário que será instalado na Praça Getúlio Vargas, por sua vez, já foi licitado e está pronto para ser executado. O contrato prevê a aquisição de lixeiras, bancos, floreiras, totens, entre outros acessórios, ao custo de aproximadamente R$ 400 mil.

Porém, esta parte será a última a ser executada, entrando primeiro a parte de concreto, piso, jardinagem e iluminação, justamente o que ainda não foi licitado. Com isso, já é certo que haverá um atraso na entrega da obra. A previsão inicial era inaugurar em dezembro, mas com estes problemas na licitação, deve ficar para depois de abril de 2020.

Confira a matéria completa no jornal impresso desta quarta-feira (26).

 

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.