Geral

15/04/2019 10:43

ENTREVISTAS

Fábrica de Cultura valoriza trabalho de artistas que residem em Rio Negrinho

Christian Hacke / Jornal A Gazeta

Músico e professor Felipe Szabunia é coordenador do projeto

Christian Hacke - christian@gazetasbs.com.br
Rio Negrinho

Professor de música e fomentador da cultura em Rio Negrinho, Felipe Szabunia iniciou em fevereiro deste ano um projeto que tem por objetivo evidenciar os trabalhos dos artistas que adotaram a cidade como sua casa. Após um tempo de estudos e conhecimento de ferramentas, Felipe montou um estúdio de gravação e tem levado diversos personagens para contarem suas histórias. Os vídeos têm alcançado um bom público nas redes sociais.

O professor montou um grupo e uma página no Facebook chamados Fábrica de Cultura, além de postar os vídeos em seu canal do Youtube. O nome, segundo o propositor do projeto, surgiu em homenagem à extinta fábrica de móveis Cimo. A abertura dos vídeos, inclusive, utiliza o tão conhecido apito da chaminé da empresa, que ecoava pela cidade nas entradas e saídas dos empregados.

Felipe cita que os entrevistados têm algo em comum. "São artistas que fizeram e fazem trabalhos em Rio Negrinho. Muitos não nasceram aqui, mas adotaram a cidade, como o Shark. A ideia agora é cobrir eventos também, com tomadas de vídeo direto do local", comentou Felipe. As entrevistas podem ser conferidas pelo grupo e ágina do Facebook chamados Fábrica de Cultura, ou no canal do Youtube do Instituto de Música Felipe Szabunia.

Veja mai detalhes da iniciativa no jornal impresso desse fim de semana (13 e 14).

Comentários

Não há comentários sobre esta matéria. Deixe seu comentário

+ sobre Geral

Leia mais...

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

A Gazeta - Rua Mal. Floriano, 22 - Centro - São Bento do Sul/SC - Telefone (47) 3203-0022