Geral

14/01/2020 10:47

AEDES AEGYPTI

Época com calor e chuvas exige cuidados redobrados no combate à dengue

Layra Olsen / Jornal A Gazeta

Equipe responsável pela vistoria em possíveis criadouros

Layra Olsen - layra@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

Em São Bento do Sul estão espalhadas 430 armadilhas para ‘medir’ a infestação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Esses locais são vistoriados semanalmente por três agentes do Programa de Combate à Dengue. Já os Pontos Estratégicos, 75, no total, são verificados a cada 15 dias por um agente e envolvem cemitérios, borracharias, ferro velho, etc. 

Nesta época, principalmente pela combinação de altas temperaturas e chuvas, os cuidados para evitar a proliferação do mosquito precisam ser redobrados. “O desenvolvimento é bem mais rápido. Quando está bem quente, a larva pode se transformar em mosquito em até cinco dias”, alerta a agente Cleide Adriana Dias.

Ela também avisa que um mosquito é capaz de colocar 600 ovos, ou seja, uma área pode se tornar infestada facilmente. “Não podemos deixar o Aedes Aegypti dominar. Basta olhar uma vez por semana ao redor da casa, recolher todo objeto que acumula água. São ações simples que evitam o desenvolvimento de larvas”, orienta.

Ela também lembra que o medo de contrair alguma doença leva muitas pessoas a utilizarem métodos que nem sempre são eficazes. Aplicar borra de café na água das plantas e sobre a terra não ajuda a combater o mosquito. A areia, do mesmo modo, não mata a larva e deve ser utilizada em vasos para evitar que a água fique parada.

A colega, Flávia Regina Dums, explica que a equipe chegou a ser questionada quanto aos cuidados necessários com os bebedouros de animais. O ideal, conforme a agente, é que esses reservatórios sejam lavados periodicamente e mantenham água sempre limpa em seus interiores.

Saiba como denunciar
No ano passado, São Bento do Sul registrou 34 focos do mosquito Aedes aegypti e 55 denúncias de possíveis criadouros. Elas podem ser feitas diretamente no CVS pelo telefone 3635-2228 ou na ouvidoria através do número 156 ou do e-mail ouvidoria@saobentodosul.sc.gov.br. O registro é sigiloso.

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.