Geral

24/07/2021 10:35

HISTÓRIA

Empresário do Supermercado Germânia relembra trajetória em evento da Acisbs

FABIANE P. COSTA / DIVULGAÇÃO

“Sempre tive o desejo de empreender”, relembrou Mário César Pacheco

Da redação - editoria@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

Em mais uma edição do bate-papo Empreendedor, o Núcleo de Jovens Empreendedores da Acisbs, recebeu o empresário do ramo supermercadista, Mário César Pacheco, da rede do Supermercado Germânia, na noite de quinta-feira.

O empresário iniciou a conversa falando que a rede conta com 24 anos de história. Natural de Canelinha, César relatou que o começo do negócio não foi nada fácil. “Tive uma carreira dentro do Sesi, o que me deu uma excelente bagagem para o meu negócio. Sempre tive o desejo de empreender”, relembrou.

Ele trabalhou em diversas frentes dentro do Sesi, passou pelos mercados, cozinha industrial e no serviço social. Pacheco chegou a coordenar todas as cozinhas industriais em Santa Cataria. “Eu conheço os dois lados, o lado de ser colaborador e do empreendedor. Gosto muito de trabalhar com pessoas”, destacou.

O empreendedor relembrou toda a sua trajetória pelo Sesi aos jovens empreendedores e aconselhou, dizendo que, por mais difícil que seja a empreitada, é necessário seguir em frente de cabeça erguida, sem desistir.

“Há 24 anos quando começamos a história do Germânia, enfrentamos muitos obstáculos, como a questão do horário, por exemplo. Tudo fechava no almoço e nada funcionava nos fins de semana, no máximo sábado de manhã. Viemos com uma proposta diferenciada no horário, que foi aquela luta com o sindicato, além de pagamentos mais flexíveis aos clientes e o bom atendimento”, contou.

O espírito empreendedor não se restringiu apenas a uma unidade do supermercado, de lá até os dias atuais, o grupo conta com sete lojas. “Sempre tivemos o desejo de inovar e expandir os negócios”, disse. A primeira unidade foi a de Oxford, que iniciou no prédio alugado do Sesi, a segunda em Rio Negrinho, onde mais dois sócios passaram a integrar o quadro que se mantém até os dias atuais, "de quatro amigos do Sesi", como conta o empresário.

Após abrir em Rio Negrinho, a segunda loja foi na cidade, no Centro. “Na ocasião, o Germânia investiu na obra da galeria central, com a tubulação do rio que corta o Centro da cidade”.

A quarta loja foi mais uma em Rio Negrinho, que segundo ele foi a primeira grande decepção, pois em uma sexta-feira fizeram uma grande inauguração e na semana seguinte precisaram desmontar toda a loja devido ao grande volume de chuvas, alagando todo estabelecimento. Depois veio o investimento do Hiper, com a compra do terreno e uma obra inovadora.

“Enfrentamos muitas dificuldades, incêndio na loja do Colonial, os alagamentos, roubos de mercadorias, trabalhamos de domingo a domingo, pois o varejo requer essa dedicação. Mas sempre tivemos muita força de vontade para continuar a caminhada”, enfatizou. Depois do Hiper, veio mais uma loja em Serra Alta e por último o Planaltão Atacadista, em Mafra.

O Germânia conta hoje com 860 colaboradores e é considerado pelos sócios como uma empresa familiar, que vive hoje, com uma proposta de venda do negócio. “Estamos há nove meses trabalhando na operação e se for concretizada vamos oficializar a venda para a comunidade de São Bento”, contou o empresário. César finalizou o bate-papo contando seus planos futuros e desejou sucesso aos integrantes do Núcleo.


Confira mais notícias no jornal impresso. Assine A Gazeta agora mesmo pelo WhatsApp (47) 99727-0414. Custa menos que um cafezinho por dia! ☕

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.