Política

23/04/2019 09:42

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Deputado alega estratégia em projeto que proíbe cargas perigosas na Serra

Divulgação

Kennedy alega que intenção é aumento da fiscalização

Alexandre Carvalho - alexandre@gazetasbs.com.br
Região

O deputado estadual Kennedy Nunes (PSD) falou ontem a respeito de seu projeto de lei em tramitação na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) sugerindo a proibição do trafego de caminhões com cargas perigosas no trecho da Serra Dona Francisca. A iniciativa gerou uma grande discussão na região, tanto é que na quarta-feira o prefeito Júlio Ronconi (PSB), de Rio Negrinho, formou uma frente com o intuito de neutralizar a ação, alegando a medida trará prejuízos para algumas empresas do Planalto Norte.

Conforme o deputado, a apresentação da proposta teria sido "uma estratégia", como definiu, para viabilizar o aumento da fiscalização na Serra, afim de oferecer maior segurança aos mananciais que abastecem a população de Joinville. “É uma estratégia minha que deu certo. Está dando certo, pelo menos. Isso pelo fato do governo não dar ouvidos aos deputados de oposição. Pois o governo adotou uma estratégia de fazer tudo o contrário do que pedimos”, alegou.

Kennedy disse que entrou com o pedido para chamar atenção das autoridades do governo estadual para o perigo na Serra Dona Francisca. “Apresentei o projeto para proibir o trafego de caminhões com cargas perigosas, medida esta que chegará até o governo, e eles para não me atender, irão fazer exatamente o contrário, que é justamente o que eu entendo que necessita ser feito, o aumento do policiamento e da fiscalização no trecho da serra”, justificou.

O deputado também citou que a intenção do governo do Estado é levar o atual posto da Polícia Militar Rodoviária para a rodovia do Arroz. “Eu quero que o posto seja no pé da serra. Enfim, volto a dizer que foi uma estratégia que deu certo e quando dá certo a gente diz: bingo. O objetivo era possibilitar um maior policiamento, mas se eu pedisse mais policiamento o governo não iria dar ouvido. Então fiz esse projeto no intuito de chamar a atenção com a mobilização de todos, desta forma o governo deverá fazer exatamente o que é necessário ser feito”, argumentou.

Veja mais detalhes sobre a polêmica no Panorama Político desta terça-feira (23).

Comentários

Não há comentários sobre esta matéria. Deixe seu comentário

+ sobre Política

Leia mais...

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

A Gazeta - Rua Mal. Floriano, 22 - Centro - São Bento do Sul/SC - Telefone (47) 3203-0022