Geral

05/12/2018 09:35

INSPIRAÇÃO

Conselho Tutelar proíbe que garota de 11 anos venda poesia no terminal

Layra Olsen / Jornal A Gazeta

Garota é responsável por confeccionar cartões com poesias e ilustrações

Layra Olsen - layra@gazetasbs.com.br
São Bento do Sul

Dona de uma maturidade precoce, Karen Souza utiliza técnicas poéticas para falar de assuntos que vão além do âmbito juvenil. Aos 11 anos e com mais de 80 poesias na bagagem, ela já faz planos para aprimorar o seu talento e prosseguir com a sua arte. No final do ano passado, Karen quebrou a perna e teve que ficar afastada da escola e dos amigos até sua total recuperação. Neste período, aproveitou para colocar algumas ideias no papel.

Neste ano, a são-bentense resolveu investir no seu talento para garantir um futuro promissor. Aos poucos, ela começou a desenvolver cartões natalinos que possuem, além de poesias, ilustrações exclusivas. Munida das criações, ela percorre o terminal urbano do Centro e algumas ruas do bairro Oxford para vende-las. 

Os cartões custam de R$ 2 a R$ 3. Todo o dinheiro arrecadado até agora está guardado e será usado para cobrir as suas prioridades. “Quero estudar numa escola particular e pagar uma faculdade de medicina para ajudar as crianças”, conta a garota, que sonha em se especializar em pediatria. Apesar disso, os livros continuarão ao seu lado. "Também quero ser uma escritora reconhecida e publicar vários livros", completa.

Foi proibida
Representantes do Conselho Tutelar de São Bento estiveram terça-feira (4) em A Gazeta para falar sobre o caso. Segundo as conselheiras tutelares, mesmo que a menina venda poesias para guardar dinheiro e custear sua faculdade de medicina, o ato é ilegal. Justificam que ela é muito jovem e por ficar no terminal de passageiros acaba exposta a todo tipo de pessoa e, portanto, a proibição é para segurança da jovem.

Confira mais detalhes sobre a história de Karen no jornal impresso desta terça-feira (4).

Comentários

ECA comentado: ARTIGO 68/LIVRO 1 – TEMA: Direitos ARTIGO 68/LIVRO 1 – TEMA: DIREITOS Comentário de Antônio Carlos Gomes da Costa Pedagogo/Minas Gerais O art. 68 introduz uma verdadeira revolução sócio-pedagógica no que diz respeito à articulação educação-trabalho-renda no contexto de uma realidade sócio-cultural como a do Brasil, na presente fase de nossa evolução histórica. Todos sabemos que a educação para o trabalho, tanto aquela praticada ao nível da educação sistêmica de 2º grau quanto aquela implementada pelos serviços nacionais de aprendizagem industrial e comercial (SENAI e SENAC), não se adapta, em termos de acesso, permanência e sucesso, à realidade das crianças e adolescentes de mais baixa renda. ... http://fundacaotelefonica.org.br/promenino/trabalhoinfantil/promenino-ecacomentario/eca-comentado-artigo-68livro-1-tema-direitos/ complementação em : https://www.direitocom.com/estatuto-da-crianca-e-adolescente-comentado/titulo-ii-dos-direitos-fundamentais-do-artigo-7o-ao-69/capitulo-v-do-direito-a-profissionalizacao-e-a-protecao-no-trabalho-do-artigo-60-ao-69/artigo-68-4 Secretaria Municipal de Assistência Social A Secretaria Municipal de Assistência Social - SEMAS é o órgão público responsável pela gestão da política de assistência social em São Bento do Sul, atuando de forma integrada a órgãos governamentais e instituições não governamentais. c) Centro de Apoio e Formação Infanto Juvenil – CAFI: CAFI Portal da Alegria – Serra Alta CAFI Amigos da Natureza – Vila 1º de maio. http://www.saobentodosul.sc.gov.br/e/assistencia-social#.XBN2PdtKiUk
Paulo 14/12/2018 08:04
 
Não sou advogado, discordo veementemente do trabalho infantil, entendo a posição de vulnerabilidade da menor, e não concordo que uma criança esteja vagando sem supervisão de um responsável, mas ate onde sei o conselho tutelar não tem autoridade de proibir ou deixar de proibir algo, a única forma de proibir seria com um processo no judiciário mediante Ministério Publico e com uma decisão do Juiz. Acredito que a proibição por um órgão publico sem poder para tal, e extremamente inaceitável e fere a constituição, e deve ser investigado pelas autoridades ( Lembro que não sei te teve ou não um processo judicial me atento ao descrito nas matéria A gazeta http://www.gazetasbs.com.br/site/noticias/conselho-tutelar-proibe-que-garota-de-11-anos-venda-poesia-no-terminal-5431). Neste caso especifico, e virtuoso e certamente louvável que uma criança tão jovem já esteja se esforçando para a realização de seus sonhos. Pergunto ao Conselho Tutelar responsável: O Conselho Tutelar apenas proibiu a criança de vender nos terminais, alegando ilegalidade, idade jovem e segurança da criança, mas quais foram os atos concretos tomados pelo Conselho Tutelar para garantir ECA? O Conselho Tutelar buscou ou esta buscando formas para que a criança em questão tenha condições melhores de vida, estudo, para que seu processo de desenvolvimento pessoal se faça no caminho de sua plenitude como ser humano, talvez uma bolsa de estudos em escola particular, cursos, etc.
Anderson Misael da Silva 07/12/2018 08:35
 
Será que arte e trabalho espontâneos devem ser reprimidos pelo Estado?
Guilherme Lutz 07/12/2018 08:33
 
Deixe seu comentário

+ sobre Geral

Leia mais...

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

A Gazeta - Rua Mal. Floriano, 22 - Centro - São Bento do Sul/SC - Telefone (47) 3203-0022