Geral

26/07/2019 10:24

FISCALIZAÇÃO

Celesc intensifica ações contra os furtos de energia nas cidades da região

Matheus Müller / Jornal A Gazeta

Carlos mostra equipamento utilizado para aferir se há desvio de energia no medidor

Matheus Müller - matheus@gazetasbs.com.br

Região

A Celesc tem intensificado sua atuação para fiscalizar possíveis casos de furto de energia na região. Foram montadas duas duplas fixas de fiscalização pela companhia, que vem percorrendo São Bento, Rio Negrinho e Campo Alegre para avaliar todos os casos suspeitos de qualquer irregularidade.

O gerente da unidade de São Bento do Sul da Celesc, Carlos Alberto Becker Júnior, explica que de dois a quatro casos por semana têm sido flagrados desde que a iniciativa foi intensificada. Os flagrantes envolvem diversos tipos de fraudes e desvios de energia. Nos casos mais graves, está sendo solicitado a presença da Polícia Militar, e sendo confirmado o furto em flagrante de energia, os responsáveis estão sendo encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil.

Carlos detalha que a ação vale tanto para pessoas físicas quanto para empresas e comércios. O objetivo é identificar qualquer tipo de benefício ilegal em virtude de uma não medição de energia, como desvio de rede, modificação no quadro de medição, entre outros. Os casos que vêm sendo descobertos envolvem desde desvios de 100% da energia, até casos de 50%, 30%, entre outros valores.

Atualmente a Celesc conta com aproximadamente 57 mil unidades consumidoras nos municípios de São Bento do Sul, Rio Negrinho e Campo Alegre. O objetivo é fiscalizar as anomalias verificadas em todas as unidades da região. Estas inspeções se dão após relatórios apontarem onde há perda anormal de energia, ocorrendo assim a visita dos agentes fiscalizadores.

CRIME
Segundo o delegado de Polícia da Comarca, Lucas Davanso Mendonça, a prática de “gato” de energia é crime, podendo levar de um até quatro anos de prisão. “Se houver indícios de que o morador da residência tenha efetuado a ligação clandestina e estiver usufruindo disso, pode ser autuado em flagrante por furto”, detalha. Dependendo da situação, como se houver auxílio de outra pessoa para o ato criminoso, a pena pode ser dobrada, indo até oito anos de reclusão, além de incidência de multa.

Confira mais informações sobre a iniciativa no jornal impresso desta sexta-feira (26).

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.