Geral

14/01/2020 09:33

COMPANHEIRISMO

Casal Adolfo e Tereza celebra nesta terça-feira as Bodas de Diamante

Layra Olsen / Jornal A Gazeta

Casal mostra o quadro feito para o casamento

Layra Olsen - layra@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

O casal Adolfo e Tereza Smiguel se conheceram há mais de 60 anos, quando ele ainda atuava como instrutor de fumo pela empresa Souza Cruz. Ela morava em Piên e tinha o dom de ensinar, por isso dedicava parte de seu tempo transmitindo conhecimento ao próximo, em sala de aula.

A primeira troca de olhares ocorreu quando o pai de Tereza decidiu fazer uma estufa e precisou das orientações de Adolfo. Entre leves toques de mão e encontros casuais pelas estradas de Campina de Crispim, veio o pedido de casamento, dentro de um fumaciador de toicinhos. Em poucos meses o casal trocou alianças, em São Bento. Data, aliás, marcante também para o município, já que foram os primeiros a inaugurar o altar da Igreja Puríssimo Coração de Maria.

A festa durou três dias. Como a família era grande e Adolfo, principalmente, possuía muitos parentes do interior, havia a necessidade de estender os “comes e bebes”. A união gerou 9 filhos, 18 netos e 11 bisnetos. Os laços são ainda maiores quando se fala em afilhados: 157, no total. “Nós conhecíamos muitos colonos. Tínhamos um comércio e um carro e ajudávamos muitas pessoas, levava para o hospital, buscava parteira”, lembra o Vô Smiga, como é chamado carinhosamente pelos familiares. A admiração e o respeito que os vizinhos e a comunidade tinham eram tão grande que eles chegaram a batizar quatro crianças em apenas um dia.

A rotina perdurou por 25 anos até a mudança para São Bento do Sul. “Os filhos precisavam estudar”, explica Tereza. Aqui, na casa onde ainda vivem em Serra Alta, ela criou uma creche domiciliar. A princípio, o intuito era cuidar de alguns filhos de mães que trabalhavam fora. O número de crianças foi aumentando e a Prefeitura começou a lhe fornecer alimentos, para ajudar. Foram 15 anos na labuta e auxiliando o marido na nova mercearia, onde atualmente comporta uma das unidades do grupo Germânia.

Nesta terça-feira (14), a família Smiguel celebra seis décadas de companheirismo, alegrias, desafios e momentos de superação. Tereza que o diga. Ela passou por um tratamento intenso contra um câncer e sofreu três Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC’s). Um deles provocou perda súbita da visão. Mesmo assim, após tantos obstáculos, não se queixa. Ao contrário, agradece pela vida e pela oportunidade de continuar perto daqueles que tanto lhe estimam.

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.