Esportes

06/11/2019 09:42

PRATA DA CASA

Camilinha agora vai defender o Canberra United no futebol australiano

Divulgação

São-bentense jogou por três anos no Orlando Pride, dos Estados Unidos

Matheus Müller - matheus@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

A meia são-bentense Camila Martins Pereira, a Camilinha, já conta com novo clube para dar sequência à sua carreira. Depois de deixar o Orlando Pride, dos Estados Unidos, ela acertou com o Canberra United, da Austrália.

Camilinha conta que decidiu fechar com o clube ainda quando estava nos Estados Unidos. Ela já está treinando com as novas companheiras, em preparação para o calendário do futebol australiano, cujo campeonato inicia no domingo da próxima semana, 17 de novembro, seguindo até o final de março.

A jogadora detalha que este foi o terceiro ano em que ela recebeu convite do Canberra para atuar na Austrália. Nos anos anteriores, a transação acabou não ocorrendo por motivos diferentes. “Em 2017 eu me lesionei, e no ano passado estava em treinamento com a Seleção para a Copa do Mundo, mas neste ano deu certo”, conta.

Ela relata que a liga de futebol feminino dos Estados Unidos, que encerrou recentemente, reiniciará somente em março. Assim, ela optou em ir para a Austrália para estar em atividade e se manter preparada, já de olho nas Olímpiadas de Tóquio 2020, onde a são-bentense pretende estar entre as convocadas.

Camilinha é a primeira brasileira do clube que leva o mesmo nome da capital australiana. “Acredito que na liga este ano não tenha brasileiras”, detalha, lembrando que a zagueira Mônica já jogou lá, em 2016. Apesar de não ter nenhuma companheira brasileira, ela tem se adaptado bem ao país da Oceania. “Adaptação está sendo tranquila, meu inglês está melhor, então fica mais fácil”, comenta.

Confira mais detalhes sobre a carreira da atleta no jornal impresso desta quarta-feira (6).

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.