Segurança

10/04/2018 10:26

TRAGÉDIA NAS 27 CURVAS

Após acidente com seis mortes, Milton Ruckl vai a júri popular

Ricardo Otto / Jornal A Gazeta / Arquivo

O estado em que ficou a Ipanema após a colisão: único sobrevivente estava no porta-malas

Da redação - editoria@gazetasbs.com.br
São Bento do Sul

A Segunda Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) confirmou, por unanimidade, que Milton Zanghellini Ruckl será julgado pelo Tribunal do Júri, como já havia determinado a primeira instância da Justiça, entendimento do qual seus advogados recorreram. O acórdão com a decisão foi publicado nesta segunda-feira (9) no Diário da Justiça. O julgamento ainda não tem data marcada.

Milton responde a processo devido a um acidente nas "27 Curvas", registrado por volta 22 horas do dia 6 de setembro de 2014, um sábado de Schlachtfest. O Ministério Público de Santa Catarina acusa Milton de ter conduzido o veículo BMW 328i sob influência de bebida alcoólica, "em velocidade muito superior e incompatível com aquela permitida na via", que é de 60 quilômetros por hora.

A denúncia do MPSC expõe que o empresário ultrapassou um veículo Agile em local proibido, passando por cima da sinalização conhecida como "tartaruga", invadindo a pista contrária e colidindo lateralmente com um veículo Gol e frontalmente com um Kadett Ipanema, provocando a morte de seis pessoas da mesma família, sendo um deles um bebê de apenas um ano. O único sobrevivente da Ipanema foi um jovem que estava no porta-malas.

A defesa do empresário argumenta que ele não assumiu o risco de produzir as mortes, enfatizando que uma roda dianteira da BMW quebrou e que a neblina e a garoa impediram a "plena visibilidade" da pista no momento da ultrapassagem.

As penas
O MPSC denunciou o empresário por seis homicídios duplamente qualificados e um homicídio duplamente qualificado tentado, mas a Justiça – em primeira e segunda instâncias – entendeu que ele deve ser julgado por seis homicídios simples consumados e um homicídio simples tentado. O Código Penal estabelece a pena de 6 a 20 anos de reclusão para cada crime de homicídio simples. Já o homicídio simples tentado tem punição correspondente ao crime consumado, com diminuição de um a dois terços.

Confira o relato das testemunhas do acidente no jornal impresso desta terça-feira (10).

Comentários

Justiça tem que ser feita eram pessoas que perderam suas vidas tem sim que pagar o que vez parabéns pela justiça sendo feita gratidão
Cleiton dos Santos 11/04/2018 11:38
 
Deixe seu comentário

+ sobre Segurança

Leia mais...

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

A Gazeta - Rua Mal. Floriano, 22 - Centro - São Bento do Sul/SC - Telefone (47) 3203-0022