Política

16/09/2019 10:04

CONCUSSÃO

Anotações com nomes e valores revelam quem eram os "Piás do Márcio"

Divulgação

Anotações encontradas na carteira de Márcio, com nomes e valores

Elvis Lozeiko - elvis@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

A Gazeta divulgou neste fim de semana, com exclusividade, uma série de detalhes que constam nas quase mil páginas do processo que apura a suposta prática de concussão e de corrupção passiva por parte do vice-prefeito afastado de São Bento do Sul, Márcio Dreveck (PP). Foi uma testemunha inicialmente sigilosa que denunciou o caso das "contribuições partidárias", cujos desdobramentos levaram Márcio a ficar no Presídio Regional de Mafra por mais de dois meses.

No dia de sua prisão, quando Márcio recebeu dinheiro com notas marcadas do servidor Francisco dos Santos em seu gabinete, na Prefeitura, policiais encontraram uma anotação com as inscrições "10% agentes políticos" e "desc. equivalente ao secretário", escritas a lápis na primeira página de uma lista de comissionados datada de junho do ano passado, com alguns nomes destacados. Na carteira de Márcio foi encontrado um pedaço de papel com anotações de valores e nomes de servidores da Secretaria de Obras.

Então secretário de Obras, Paulo Zwiefka, quando foi chamado para prestar depoimento, relatou que é filiado ao PSB, apoiador do PP na última eleição. Ele relatou que recebeu em mãos "contribuições" dos servidores, mas que, depois, a coleta coube a Ivan Formigari, chefe de divisão na secretaria. Zwiefka chegou a ser afastado do cargo e pediu exoneração, e agora, após passadas as audiências de instrução, vai assumir como vereador, cargo que foi eleito em 2014.

O depoimento de Ivan Formigari foi no dia 5 de julho. Ele contou que era filiado ao PP, e depois mudou para o PSB. A "contribuição", conforme ele, era de 4% do salário. Em certo momento, ele ficou encarregado de recolher os valores. Ivan disse aos policiais que desconhece a lista apreendida na carteira de Márcio. Em um segundo depoimento, Ivan afirmou que foi Czeslaw Kosciarz quem informou que era comum o recolhimento das "contribuições". Czeslaw é lotado na Fundação Cultural, com o cargo de diretor de Cultura e Patrimônio.

"Piás do Márcio"
Em um depoimento tomado no dia 2 de julho, Rafael Dutra, servidor concursado – mas não comissionado –, um dos funcionários filmados falando das condutas de Márcio, afirmou na delegacia que passou a ouvir comentários sobre a prática. Segundo ele, Francisco dos Santos reclamava da situação, porque o dinheiro lhe fazia falta. Quem pagava as "contribuições", de acordo com ele, eram chamados de "piás do Márcio". Conforme ele, em determinada ocasião Francisco disse que iria "entregar o dízimo para o pai".

Veja todos os depoimentos na matéria publicada no jornal impresso desse fim de semana (14).

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.