Geral

16/07/2020 09:37

EDUCAÇÃO

Algumas escolas particulares devem garantir desconto na mensalidade

ELVIS LOZEIKO / JORNAL A GAZETA

Diretora Cristiane afirma que o Colégio Univille apresentou as suas contas

Elvis Lozeiko - elvis@gazetasbs.com.br

São Bento do Sul

Em tempos normais, a educação formal é um desafio e tanto. Em época de pandemia e de isolamento social, então, é algo mais complexo ainda. No caso das escolas particulares, existe um componente a mais: há pagamento de mensalidade para estudar.

O Procon de São Bento do Sul tem recebido ligações de pais de alunos destas instituições privadas, os quais estão questionando se deve haver desconto, já que, com a suspensão das aulas presenciais, deveria haver uma redução proporcional dos valores. A diretora municipal do órgão, Harriet Hackbarth, observa que, sem aulas presenciais, diminuiu o custeio dos estabelecimentos, seja com materiais de consumo ou mesmo com profissionais de algumas áreas. "Esse é o nosso entendimento", explica.

Ela esclarece, porém, que não houve qualquer reclamação formal nesse sentido até agora. "A escola tem que prestar contas aos pais", diz, ressaltando que, como eles contrataram os serviços, enquadram-se nas regras do Código de Defesa do Consumidor.

A diretora ainda lembra que a necessidade de mensalidade menor, no entendimento do Procon, fica mais evidente se as aulas a distância não estão sendo oferecidas diariamente. Nesse caso, conforme ela, a situação pode configurar lucro em meio à pandemia.

Harriet conta que, em Florianópolis, escolas particulares que estavam respondendo a ações civis públicas firmaram acordos com o Ministério Público e com a Defensoria Pública, garantindo descontos nas mensalidades enquanto durarem as medidas de isolamento social para a contenção do coronavírus.

O que dizem as escolas

A Gazeta contatou estabelecimentos de ensino de São Bento do Sul questionando quanto às mensalidades. A diretora do Colégio Global, Cleyde Rajane Treml, explicou que há descontos para as turmas de Educação Infantil e Ensino Fundamental – Séries Iniciais, pois estão com aulas em carga horária reduzida. "Para as demais turmas, não foi concedido desconto devido à efetividade e manutenção das aulas e da carga horária", disse.

No Colégio Univille, a diretora Cristiane Aparecida da Silva Pilz esclareceu que reuniões mensais têm sido realizadas com os pais. "Apresentamos as contas da instituição, mostrando se houve ou não diminuição dos custos. Havendo redução, esta será repassada na mensalidade", explicou.

Por meio de sua assessoria, o Bom Jesus São José citou que, via estudos técnicos e financeiros, encontrou caminhos viáveis e sustentáveis para aplicar descontos nas mensalidades de todos os seus alunos. "Também foram criados outros programas para amenizar a pressão financeira das famílias, como a possibilidade de pagamento da mensalidade em até 60 dias, sem juros ou multa, ou, ainda, o parcelamento das mensalidades", divulgou a assessoria.

Confira o posicionamento de todas as escolas no jornal impresso desta quarta-feira (15).

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

Ajude-nos a manter um jornalismo sério e com credibilidade. Textos e fotos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Se quiser repassar a notícia, compartilhe o link.