Segurança

09/02/2018 12:24

CASO LOIR DREVECK

Advogado garante que Gilberto Dranka é vítima de "trama política sórdida"

Leonardo Celeski / Arquivo / Jornal A Gazeta

Dranka e Maahs tiveram a liberdade provisória decretada

Da redação - editoria@gazetasbs.com.br
Piên

A Justiça do Paraná concedeu liberdade provisória ao ex-prefeito de Piên, Gilberto Dranka, e ao ex-presidente da Câmara de Vereadores, Leonides Maahs, em julgamento de recurso ocorrido na tarde de quinta-feira (8), em Curitiba. Ambos são acusados de planejar e executar a morte do prefeito eleito Loir Dreveck (MDB) e do trabalhador Genésio de Almeida, morto por engano em outra emboscada.

Com a decisão, os suspeitos de envolvimento no crime poderão permanecer em liberdade, mas usando tornozeleiras eletrônicas até a data do julgamento, que ainda não tem data definida.

O advogado de defesa do ex-prefeito, Claudio Dalledone Junior, alega que seu cliente é inocente. Ele comemorou a liberdade concedida a Dranka na tarde de quinta-feira (8), porém, disse que ainda não está satisfeito. “Vamos até onde for preciso para provar que ele é inocente e que foi envolvido em uma trama política sórdida. Continuo firme neste propósito”, ressaltou.

Dalledone comentou que a decisão do julgamento do recurso se deu de forma unânime, lembrando que a liberdade provisória foi cedida pelo Tribunal de Justiça do Paraná. “Ainda conseguimos retirar uma qualificadora. Agora vamos buscar o anulamento do Tribunal do Juri. Ainda temos STJ (Supremo Tribunal de Justiça) e o STF (Supremo Tribunal Federal) para isso”, acrescentou o advogado.

No jornal impresso desta sexta-feira (9) há mais detalhes sobre a audiência do TJ/PR.

Comentários

Não há comentários sobre esta matéria. Deixe seu comentário

+ sobre Segurança

Leia mais...

Todos os direitos reservados para A Gazeta. Reprodução sem autorização é proibida.

A Gazeta - Rua Mal. Floriano, 22 - Centro - São Bento do Sul/SC - Telefone (47) 3203-0022